Após apagão em comunicações, Tonga confirma ‘desastre sem precedentes’ causado por tsunami

Primeiro comunicado oficial do arquipélago confirmou morte de três pessoas por causa de tsunami; em uma das ilhas locais, todas as casas foram destruídas

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2022 11h55
Handout / NEW ZEALAND DEFENCE FORCE / AFP imagem aérea de ilha destruída por água Maior parte dos danos causados por tsunami em Tonga são registrados por satélites e helicópteros enviados pela Nova Zelândia

Em primeiro comunicado oficial divulgado desde a erupção do vulcão Hunga Tonga Hunga Ha’apai no último sábado, 15, o governo de Tonga confirmou nesta terça-feira, 18, que pelo menos três pessoas morreram após o tsunami causado pela atividade sísmica na região. Na mensagem, o arquipélago do Pacífico Sul classificou o ocorrido como “um desastre sem precedentes”. Segundo o levantamento do governo, o tsunami causou ondas de até 15 metros de altura, que atingiram diversas ilhas e afetaram com mais intensidade três delas: a de Mango, na qual todas as casas foram destruídas; a de Fonoifua, que ficou com apenas duas residências de pé, e a de Nomuka. Os três mortos confirmados são uma mulher britânica, uma idosa de 65 anos e um homem de 49. O comunicado de Tonga também informou que o abastecimento de água na região foi afetado por causa das cinzas do vulcão e que embarcações militares foram enviadas para áreas mais afetadas. Além da Nova Zelândia, a Austrália também deve enviar ajuda humanitária para o arquipélago, com mais de 200 mil litros de água potável e uma planta de dessalinização, que deve ajudar no abastecimento da região. A maior parte do monitoramento de danos da área foi feita com ajuda de satélites, que mostram o cenário de devastação e uma grande quantidade de cinzas acumulada no solo. A ilha ainda não divulgou um número exato de feridos até o momento.