Argélia prende membros de organização terrorista por causar incêndios florestais no país

Segundo polícia, pelo menos sete dos 30 presos por suposto envolvimento com fogo que deixou 65 mortos faziam parte do Movimento para Autonomia da Cabília

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2021 16h13
EFE/EPA/STR helicóptero tentando interromper incêndio na argélia Incêndios florestais foram iniciados no começo de agosto

A polícia paramilitar da Argélia afirmou nesta quarta-feira, 8, que pelo menos 30 pessoas foram detidas no país por suspeita de envolvimento nos incêndios florestais que deixaram mais de 65 pessoas mortas na região da Cabília no último mês. Segundo autoridades nacionais, sete dos 30 detidos faziam parte do Movimento para a Autonomia da Cabília, um grupo considerado como terrorista pelo governo local que busca a independência no país. Além de afirmar que a responsabilidade pelos incêndios criminosos em diversas partes do país são do grupo, a Argélia acusa o Marrocos, país vizinho, de apoiar a organização nos atos terroristas. Por causa dessa crise, os dois países cortaram relações diplomáticas. Os incêndios na Argélia foram iniciados ainda no começo de agosto e duraram dias, devastando milhares de quilômetros de mata. Pelo menos 25 dos 65 mortos eram membros do Exército Popular Nacional, que salvaram mais de 100 pessoas de áreas cercadas pelo fogo.