Buscas por sobreviventes de desabamento em Miami entram no sétimo dia e 16 mortes são confirmadas

Pelo menos 147 pessoas continuam desaparecidas; mais de 1,3 mil toneladas de concreto foram retiradas dos escombros e socorristas tentam identificar corpos encontrados na madrugada

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 11h19 - Atualizado em 30/06/2021 13h10
EFE/EPA/CRISTOBAL HERRERA-ULASHKEVICHPelo menos 149 pessoas ainda são procuradas nos escombros do desabamento

A polícia de Miami-Dade, na Flórida, confirmou na manhã desta quarta-feira, 29, que até o momento 16 mortes foram registradas no desabamento de um prédio de 12 andares em uma praia de Surfside. As buscas por sobreviventes do acidente ocorrido na madrugada da última quinta-feira, 24, entraram no sétimo dia com mais de 1,3 mil toneladas de concreto retirada dos escombros. Na noite desta terça, a 12ª morte foi confirmada e o chefe da Unidade de Resgate Nacional de Israel, que ajuda na operação de busca por sobreviventes, confirmou que mais corpos foram encontrados nos escombros durante a madrugada, mas a confirmação das mortes só seria feita quando as vítimas fossem identificadas. Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta, a prefeita do condado de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, confirmou mais quatro óbitos.

“Por favor, se juntem a mim e continuem a rezar por aqueles que perderam as vidas nessa tragédia inimaginável, pelas suas famílias que sofrem com o luto e por todos aqueles que continuam esperando por respostas”, afirmou Levine Cava. A 12ª vítima foi identificada como Hilda Noriega, de 92 anos. Ela era mãe do Chefe de Polícia de North Bay, área localizada a poucos quilômetros de Surfside, e morava no sexto andar do condomínio. Em um comunicado à imprensa, o comandante Noriega agradeceu aos socorristas “que bravamente arriscaram as próprias vidas para localizar a mãe dele e outras vítimas inocentes achadas até o momento” e pediu privacidade para viver o luto junto à família. A identidade das outras quatro vítimas ainda não foi divulgada pela polícia, mas os familiares delas já foram informados.

As buscas por sobreviventes são prejudicadas pelo tempo instável na região, que tem registrado quase uma semana de chuva intensa. Grandes incêndios no subsolo dos escombros também foram registrados desde o desabamento e a queda de escombros do que restou de pé no condomínio torna o trabalho dos socorristas ainda mais arriscado. Uma visita do presidente Joe Biden e da primeira-dama dos Estados Unidos, Jill Biden, ao local do desabamento está agendada para esta quinta-feira, 1º. A expectativa é de que o democrata converse com famílias de desaparecidos e parabenize aos socorristas pelo trabalho feito sem pausas há quase uma semana. Segundo a assessoria de imprensa da Casa Branca, o horário da visita será organizado de forma que não atrapalhe as buscas no local. Os bombeiros e policiais têm se revezado em turnos de 12 horas.