Facebook apaga post em que Trump compara Covid-19 a gripe comum

Post continua existindo no Twitter com mensagem de alerta; publicação foi feita um dia depois do presidente ter alta no centro médico em que recebia tratamento para Covid-19

  • Por Bárbara Ligero
  • 06/10/2020 17h21 - Atualizado em 06/10/2020 17h23
REUTERS/Erin ScottDepois de ser internado para tratar a Covid-19, Donald Trump retorna à Casa Branca e retira sua máscaraa a máscara ao chegar na Casa Branca após receber tratamento para a Covid-19

Nesta terça-feira (6), o Facebook deletou um post em que Donald Trump falsamente afirma que a Covid-19 é menos letal que uma gripe comum. O texto foi publicado no perfil oficial do presidente dos Estados Unidos um dia depois dele ter alta hospitalar no Centro Médico Nacional Militar Walter Reed, em Maryland. Trump passou dois dias internado na instalação, onde recebeu tratamento para o coronavírus e precisou de oxigênio complementar em algumas ocasiões.

Em tradução livre, o texto em inglês dizia: “A  temporada de gripe está chegando! Muitas pessoas, todos os anos, às vezes mais de 100.000, e apesar da vacina, morrem de gripe. Vamos fechar o nosso país? Não, aprendemos a conviver com isso, assim como estamos aprendendo a conviver com a Covid, na maioria das populações muito menos letal!!!”.  Procurada pela Jovem Pan, a assessoria de imprensa do Facebook no Brasil afirmou: “temos como política remover informações incorretas sobre a gravidade da Covid-19 e removemos este post”.

A publicação continua existindo no Twitter. Porém, agora a postagem é previamente ocultada por um aviso que alerta: “esse tweet viola as Regras do Twitter sobre a divulgação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas a Covid-19. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse público que o tweet permaneça acessível.”

Logo depois do Facebook e do Twitter terem interferido em sua declaração, Trump fez uma nova publicação que dizia somente “REVOGAÇÃO SEÇÃO 230!!!”. O presidente dos Estados Unidos se refere a uma parte da lei norte-americana que dá imunidade para quase qualquer uma das decisões das empresas de tecnologia em relação à moderação de conteúdo.

Esta não é a primeira vez que os gigantes das redes sociais removem uma postagem por conter informações enganosas sobre a pandemia do novo coronavírus. Em agosto, tanto o Facebook quanto o Twitter excluíram  outro post de Trump contendo uma entrevista à emissora de televisão norte-americana Fox News, em que o republicano afirma que as crianças são “quase imunes” ao novo coronavírus. O mesmo aconteceu em março com o presidente Jair Bolsonaro, que promoveu a hidroxocloroquina como uma forma efetiva de tratar a Covid-19 e teve sua postagem no Facebook removida.