Guaidó denuncia tentativa de prisão e intimidação por parte de ditadura venezuelana

Líder da oposição no país latino falou com imprensa horas após esposa dele narrar invasão da própria casa por grupo de elite da polícia local

  • Por Jovem Pan
  • 12/07/2021 17h54 - Atualizado em 12/07/2021 19h16
EFE/MIGUEL GUTIÉRREZGuaidó falou com apoiadores nesta segunda-feira, 12, após suposta tentativa de prisão

O líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó, conversou com a imprensa nesta segunda-feira, 12, na porta de sua casa, pouco após sua esposa, Fabiana Rosales, denunciar que oficiais do grupo de elite da polícia (FAES) estavam em sua residência para tentar prendê-lo. No meio de um pequeno grupo de apoiadores e de jornalistas, Guaidó afirmou que não foi preso por causa da presença das pessoas diante da casa dele e disse que os policiais que entraram na casa sem se identificar tentaram “sequestrá-lo”. “Entraram em nossa residência sem qualquer tipo de ordem, sem qualquer tipo de identificação, apontando armas grandes, detonaram um explosivo dentro do porão de nosso prédio. A intimidação nunca nos impediu”, relatou. Segundo ele, seu motorista foi espancado e amarrado no momento da invasão.

“Não sei onde ele está agora, estou procurando informações”, acrescentou o líder da oposição, que culpou o governo de Nicolás Maduro pelo ocorrido. Guaidó também denunciou que não sabe onde o ex-deputado da oposição Freddy Guevera, que foi preso minutos antes de os policiais aparecerem em sua residência, é mantido detido. “Quem está assediando e sequestrando Freddy Guevara, que o perseguiu até o porão e que detonou um explosivo no porão de nossas casas?”, perguntou o político, se esquivando de acusações de que ele estaria ligado a grupos armados que atuam em Caracas. Para o opositor, a ditadura de Maduro tenta sabotar um “acordo para salvar a Venezuela”, o que para ele não deve ocorrer.