Lira diz que não vai adiar votação do voto impresso e que Bolsonaro respeitará resultado

Presidente da Cãmara também defendeu acordo entre os Poderes e disse que há matérias mais importantes a serem votadas neste momento

  • Por Jovem Pan
  • 10/08/2021 16h24 - Atualizado em 10/08/2021 19h46
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOPresidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defendeu que pagamentos dos precatórios sejam limitados anualmente

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta terça-feira, 10, que não vai adiar a votação da PEC do voto impresso, marcada para esta terça-feira, 10. Em conversa com jornalistas, o deputado disse que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai respeitar o resultado do plenário. “Os parlamentares são livres, cada um expressa o seu voto. Vamos esperar o resultado. Tanto um resultado como outro terão consequências”, afirmou. “Se não passar, há um compromisso do presidente da República, e isso ficou claro, que cumprirá e aceitará o resultado do plenário da Câmara dos Deputados. É isso que eu espero”, completou.

Lira também defendeu um acordo entre os Poderes e disse que há matérias mais importantes a serem votadas neste momento. “Todos os deputados que estão aqui foram eleitos pela urna eletrônica. Eu já participei de oito eleições, seis no sistema eletrônico. Eu não posso, não devo nem tenho prova para dizer que o sistema não é correto, mas não custa nada nós chegarmos a um acordo pacífico entre os Poderes de se aumentar a auditagem das urnas”, disse. “Torço para que não haja vencidos e nem vencedores, porque é uma matéria como outra qualquer e que não tem essa repercussão que estão dando. Nós temos matérias muito mais importantes no Brasil, como as reformas, as questões sociais, a pandemia, as vacinas, a fome, o emprego, e o assunto predominante é esse”, declarou o presidente da Câmara.