Relembre as prisões dos ex-governadores do Rio de Janeiro

Todos os cinco ex-chefes do Executivo fluminense vivos foram presos nos últimos quatro anos; Wilson Witzel foi afastado nesta sexta por suspeita de participação em esquema de corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2020 13h20 - Atualizado em 28/08/2020 13h24
Wilton Junior/Estadão ConteúdoWilson Witzel é o atual governador do Rio de Janeiro

O afastamento do governador Wilson Witzel (PSC) por suspeita de fraude e corrupção reitera o histórico de ilicitudes envolvendo ex-chefes do Executivo do Rio de Janeiro: nos últimos quatro anos, todos os cinco ex-governadores vivos já foram presos. Sérgio Cabral, réu confesso e condenado em 14 processos diferentes, é o único que segue preso e cumpre pena de quase 300 anos. Anthony Garotinho, Rosinha Garotinho, Moreira Franco, Luiz Fernando Pezão e Moreira Franco recorrem em liberdade.

Witzel foi afastado por 180 dias na manhã desta sexta-feira, 28, após determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ).  Ele é suspeito de envolvimento em irregularidades nas compras para a pandemia de Covid-19 A decisão também proíbe o governador de acessar as dependências do governo fluminense e se comunicar com funcionários. Witzel nega as acusações e afirma que o seu afastamento foi por motivos políticos. O vice-governador, Cláudio Castro (PSC) — que também é alvo de investigação —, assume o cargo de forma interina.

Relembre abaixo o histórico de prisão de ex-governadores do Rio de Janeiro:

Anthony e Rosinha Garotinho 

O ex-governador foi preso pela primeira em novembro de 2016, suspeito de participar um esquema de compra de votos enquanto era secretário de Governo de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro. Garotinho voltou a ter problemas com a justiça em 2017, após ser condenado por fraude eleitoral. Em novembro do mesmo ano, o ex-governador foi detido novamente, desta vez com a esposa e também ex-governadora, Rosinha Garotinho, acusado de arrecadação ilegal de dinheiro de campanha. O casal voltou a ser preso duas vezes em 2019, após investigação sobre contratos fraudulentos entre a prefeitura de Campos dos Goytacazes com a Odebrecht. A última prisão foi revogada em 31 de outubro, por determinação do ministro Gilmar Mendes.

Sérgio Cabral 

O único ex-governador do Rio que continua preso foi detido pela primeira vez em 2016, após desdobramentos da operação Lava Jato. Nos últimos quatro anos, Cabral já foi condenado em 14 processos diferentes que envolvem corrupção, lavagem de dinheiro, desvio de verbas, entre outras ilicitudes. O ex-governador está preso em Bangu 8 e cumpre pena de quase 300 anos. A 14ª condenação foi publicada nesta terça-feira, 25, por crimes de corrupção na gestão das unidades do Poupa Tempo no Rio de Janeiro.

Luiz Fernando Pezão

Ex-vice e secretário de Obras de Cabral, Luiz Fernando Pezão foi preso em 2018 também investigado pela operação Lava Jato. O ex-governador foi apontado como participante em um esquema de propina que envolvia Cabral e outros servidores do estado do Rio de Janeiro. Pezão foi solto um dia depois da prisão por determinação do Superior Tribunal de Justiça e atualmente responde ao processo em liberdade.

Moreira Franco

Moreira Franco foi preso em março de 2019 na mesma operação que prendeu o ex-presidente Michel Temer. O ex-governador foi apontado pelo Ministério Público Federal como o operador de um esquema de corrupção. Ele ficou detido por quatro dias em uma unidade prisional no Rio de Janeiro e foi solto após decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região.