Jorge Serrão questiona declaração de Gilmar Mendes: ‘Lamentável ouvir que ocorre desmoralização do Judiciário’

Comentarista foi o convidado especial da edição do programa 3 em 1 desta terça-feira, 23, e comentou sobre o julgamento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2021 18h25 - Atualizado em 23/03/2021 20h06
Nelson Jr./SCO/STFPosicionamento de Gilmar Mendes foi criticado por Jorge Serrão

O Supremo Tribunal Federal (STF) está julgando o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pede a suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro no caso do tríplex do Guarujá. Até o momento, o placar está 3 a 2 contra Moro. O ministro Edson Fachin já havia votado contra o recurso e Nunes Marques fez o mesmo na tarde desta terça-feira, 23. Do outro lado, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes se posicionaram a favor do habeas corpus apresentado pela defesa do petista, sendo que o último teceu duras críticas ao posicionamento de Marques sobre o caso. “A desmoralização da Justiça já ocorreu. O tribunal de Curitiba é conhecido mundialmente, hoje, como tribunal de exceção. Enche-nos de vergonha”, afirmou Gilmar Mendes. A ministra Carmen Lúcia anunciou uma nova manifestação de voto e mudou seu posicionamento, considerando que Moro agiu de forma parcial no caso em questão.

Ao falar sobre o julgamento, o jornalista Jorge Serrão, convidado especial da edição de hoje do programa 3 em 1, da Jovem Pan, afirmou que “de repente”, a Lava-Jato começou a cair em desmoralização perante a população. “Essa quarta instância do Supremo Tribunal Federal para resolver o caso da Lava Jato não existe. Hoje, o estamento burocrático, que é a oligarquia que manda no Brasil, ela está fazendo o que ela quer. Quando foi conveniente para ela, o que aconteceu? Nós tivemos a Lava-Jato operando a pleno vapor pegando quem ela teve interesse de pegar. De repente, o vento mudou, soprou para o outro lado e agora a Lava-Jato começa a cair em desmoralização, inclusive no processo internacional, como lembrou o ministro Gilmar Mendes”, afirmou o comentarista, que, em seguida, questionou as afirmações do ministro do STF. “Curioso e lamentável foi a gente ter que ouvir o ministro Gilmar Mendes afirmar que está ocorrendo uma desmoralização do Judiciário. Ministro, quem é que está desmoralizando o Judiciário? Essa que é a grande pergunta que tem que ser feita e que o Brasil está respondendo com protestos nas ruas”.

Por fim, o convidado especial disse que “o mais assustador” do julgamento desta terça é que ele é uma prévia de um plano para livrar Lula de acusações no âmbito da Lava-Jato e afirmou que o comportamento do STF no caso é “esquisito”. “O mais assustador é que esse julgamento político de hoje nada mais é do que a premiere do que está armado no plenário do Supremo Tribunal Federal para tentar salvar o presidente Lula das condenações da Lava-Jato. O voto do ministro Fachin foi, no mínimo, esquisitíssimo, porque ele desmoralizou Judiciário. Houve uma decisão de primeira instância, muito bem elaborada pelo juiz Sergio Moro, depois o Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou aquela condenação e o Superior Tribunal de Justiça também. Então chega agora o Supremo e muda tudo? Isso está muito, no mínimo, esquisito”, disse Serrão.

Confira a íntegra da edição do programa 3 em 1 desta terça-feira, 23: