Polêmica com gráfico de Marcos Pontes é pano de fundo para bater em Bolsonaro, diz Constantino

Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações usou gráfico achado na internet para ilustrar dados ainda não divulgados sobre tratamento de Covid-19 com vermífugo

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2020 18h20 - Atualizado em 20/10/2020 18h23
Cleia Viana/Câmara dos DeputadosMinistro Marcos Pontes usou gráfico da internet para falar sobre pesquisa ainda sem dados divulgados

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, usou nesta segunda-feira, 19, um gráfico achado na internet para ilustrar uma suposta pesquisa ainda sem dados sobre a eficácia do vermífugo nitazoxanida, popularmente chamado de Annita, para diminuir a carga viral do novo coronavírus em pacientes no estágio inicial da doença. Após ser alvo de críticas pelo posicionamento precoce e pelo uso de um gráfico sem dados, ele usou as redes sociais para se defender e falar que a imagem era “meramente ilustrativa”. O assunto foi tema de debate dos comentaristas do programa 3 em 1 desta terça-feira, 20.

Rodrigo Constantino considerou o tema como uma “pauta boba” usada para atacar o presidente Jair Bolsonaro. “O ministro está lá, tentando apostar em um remédio que tem baixo risco, baixo efeito colateral. Usou um gráfico ilustrativo e depois virou todo um pano de fundo, um gancho para desferir inúmeros golpes no Bolsonaro. Poderiam alguns até concluírem que é uma obsessão de fato”, afirmou. Ele disse, ainda, que remédios como a hidroxicloroquina, usados de “forma profilática há mais de 70 anos”, mereciam confiança diferente do que a depositada na CoronaVac, vacina chinesa que foi tema de embate entre o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente no começo da semana.

Para Thaís Oyama, a fala de Marcos Pontes chega a desmoralizar o remédio antes mesmo do estudo ser publicado. “Além de divulgar essa grande notícia sem um único número que comprove essa tese, ele faz uma apresentação improvisada, mambembe e por que não ridícula? Usando um gráfico que está aí na internet e qualquer estudante pega. É um gráfico ilustrativo, decorativo. Decorativo é para enfeitar. O ministro não é decorador de ambiente. o ministro é ministro, de ciência, ele está falando de uma coisa séria. De uma pandemia”, disse. A comentarista afirmou, ainda, que além de desmoralizar o vermífugo, o posicionamento de Marcos Pontes desmoraliza o presidente Jair Bolsonaro, que parece alguém ingênuo no cenário. “Eu acho que os assessores do presidente deveriam tomar cuidado e poupá-lo dessas situações vexatórias”, pontuou.

Josias de Souza, por sua vez, considerou que o governo brasileiro “oscila entre o mundo da lua e o da realidade” no que diz respeito ao tratamento da Covid-19. “Em um instante o presidente que ofereceu cloroquina até para as emas nos jardins do palácio da alvorada cobra a óbvia necessidade de comprovação científica da eficácia das vacinas. Horas depois, o mesmo Bolsonaro preside uma solenidade na qual o Marcos Pontes, que é o ministro astronauta da Ciência e Tecnologia, diz coisas definitivas sobre a eficácia de um vermifugo no combate ao vírus sem definir cientificamente as coisas”, criticou.

Confira o programa 3 em 1 desta terça-feira, 20, na íntegra: