Exclusivo: Weverton faz balanço do Palmeiras na temporada 2020 e revela perrengue no Mundial 

Em entrevista ao programa ‘Camisa 10’, do Grupo Jovem, o goleiro palmeirense também destacou o trabalho de Abel Ferreira e falou sobre a expectativa de voltar a ser convocado para defender a seleção brasileira

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2021 14h41 - Atualizado em 12/03/2021 14h47
Reprodução/Jovem PanWeverton concedeu entrevista exclusiva ao Grupo Jovem Pan

O Palmeiras conquistou o Campeonato Paulista, a Libertadores da América e a Copa do Brasil na temporada passada. Para isso, o Alviverde precisou contar com atuações brilhantes de Weverton, goleiro condecorado como o melhor da posição nas três competições e que salvou o time em momentos importantes. Em entrevista exclusiva concedida ao repórter Pedro Marques, o arqueiro fez um balanço de 2020, recordando também os momentos negativos, como o quarto lugar no Mundial de Clubes da Fifa. Ao programa “Camisa 10”, do Grupo Jovem Pan, o experiente jogador revelou o perrengue que o time passou na competição disputada no Catar.

“O balanço que fazemos de temporada é muito bom. Para ser perfeita, só faltou o Campeonato Brasileiro e o Mundial de Clubes, as duas competições que escaparam. Mas a gente sabe o quanto era difícil o Mundial porque, há dois dias da viagem, a gente não sabia quem iria viajar. Tivemos que fazer uma logística de chegar no Catar e, três dias depois, estrear contra o Tigres. Não deu tempo de se adaptar ao fuso horário. Fui dormir sete horas da manhã no dia do jogo. Serviu de aprendizado. Vamos buscar a Libertadores de novo para ter outra chance, mas acho que a temporada foi muito boa. Estamos felizes com essa temporada histórica, que está marcada nos nossos corações e dos torcedores também”, analisou Weverton.

Na entrevista, Weverton exaltou o trabalho feito pelo técnico Abel Ferreira, responsável por unir o elenco e dar confiança aos jogadores. “É uma família Palmeiras. O Abel Ferreira traz esse espirito de família. Costuma querer zelar por esse ambiente dentro do clube e entre os jogadores. Mostra que todos são importantes e que todos somos um. Isso fez a gente crescer e fez com que o grupo chegasse ao máximo nível de competitividade entre as posições. É difícil agradar 30 jogadores, mas ele fez essa gestão muito bem, inclusive colocando jogadores da base para atuar. Isso motivou a todos. Breno Lopes, por exemplo, é um dos caras mais improváveis e fez o gol mais importante da história do clube. Então, o Abel não tem receio de colocar o cara para jogar. Estamos felizes e o resultado está vindo”, destacou o goleiro.

Weverton também falou sobre a expectativa de voltar a ser chamado por Tite para defender a seleção brasileira – a convocação foi postergada após a Conmebol adiar as rodadas cinco e seis das Eliminatórias para a Copa do Mundo devido ao agravamento da pandemia. “Bom, fico muito feliz por estar sempre sendo lembrado pelo Tite. Estar na seleção é sempre um momento especial e, como eu sempre falo, para ser convocado precisar estar sempre bem no seu clube. Tem que estar atuando em alto nível, ter boa performance e manter a regularidade. Isso dá condição de poder sonhar com a seleção. Acho que, neste momento, estou atravessando um bom momento individual e coletivo, que me dá a oportunidade de sonhar e estar lá. É sempre uma alegria ouvir o meu nome da boca do Tite. Eu estava na expectativa dessa convocação, mas infelizmente ela foi adiada. Agora é manter o alto nível e o bom trabalho para que nas próximas competições eu possa sonhar de novo”, disse.

Assista à entrevista completa abaixo: