‘Venda dos naming rights torna Andrés o maior presidente da história do Corinthians’, diz Flavio Prado 

“Ele foi o presidente que eu mais vi fazer diferença em clube”, justificou o comentarista do Grupo Jovem Pan, que também listou os feitos alcançados pelo cartola à frente do Timão

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 14h29 - Atualizado em 01/09/2020 15h48
Montagem sobre fotos/Reprodução/Corinthians TV/Jovem PanAndrés Sanchez (à esquerda) foi elogiado por Flavio Prado (direita) após a venda dos naming rights do estádio do Corinthians

Corinthians anunciou na madrugada desta terça-feira, 01, a venda dos naming rights da Arena. A partir de agora, o estádio se chamará Neo Química Arena. O contrato com a empresa farmacêutica terá duração de 20 anos, e o clube receberá R$ 300 milhões pelo negócio. A quantia será desembolsada em parcelas anuais de R$ 15 milhões. Para o comentarista Flavio Prado, do Grupo Jovem Pan, a negociação torna Andrés Sanchez o “maior presidente da história do Corinthians”. O comentarista analisou as duas passagens do dirigente pelo Timão e disse que nunca viu um presidente fazer tanta diferença em um clube quanto ele.

“O primeiro mandato do Andrés no Corinthians… Para mim, ele foi o presidente que eu mais vi fazer diferença em clube. Ele fez o CT, o estádio, o título mundial veio no mandato do Mário Gobbi, mas foi uma coisa gerada por ele, tirar clássicos do Morumbi foi um negócio bom para o Corinthians e ajudou a enfraquecer o São Paulo… Ele fez uma série de coisas legais e o reputo como o maior presidente que eu vi trabalhando de ponta a ponta”, afirmou o jornalista, durante participação no Esporte em Discussão desta terça-feira, 01, no Grupo Jovem Pan. “Esse segundo mandato eu achei muito ruim. Para mim, é aquela história de você não voltar a um lugar em que já foi feliz. Mas, agora, com essa ‘tacada’ aí… Com essa ‘tacada’ da venda dos naming rights, acho que ele fecha como o maior presidente da história do Corinthians”, acrescentou. 

Andrés Sanchez foi eleito presidente do Corinthians pela primeira vez em 2007, pouco antes do inédito rebaixamento alvinegro à Série B do Campeonato Brasileiro. Em quatro anos no cargo, o dirigente ajudou a reestruturar o clube, que, além de voltar à elite nacional, ainda contratou craques como Ronaldo e Roberto Carlos e faturou os títulos do Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Brasileirão. Além disso, o dirigente anunciou a construção do estádio em Itaquera e bancou o técnico Tite, que, no ano seguinte, já sob a gestão Mário Gobbi, tiraria a equipe da fila na Copa Libertadores da América e seria o responsável por comandar o Corinthians no título do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão. 

O retorno de Andrés ao clube de Parque São Jorge aconteceu em 2018. A segunda experiência na presidência alvinegra, no entanto, não foi tão bem sucedida quanto a primeira. O Corinthians até conquistou dois títulos paulistas sob a gestão do cartola, é verdade, mas acumulou eliminações precoces na Copa Libertadores da América, viu o rival Palmeiras assumir protagonismo em âmbito nacional e sofreu com intensa crise financeira. A poucos meses do fim do mandato, no entanto, o dirigente anunciou a tão sonhada venda dos naming rights do estádio alvinegro e deixou mais uma vez o nome marcado na história do Timão. 

Confira o comentário completo de Flavio Prado no vídeo abaixo: