Anvisa autoriza uso de cilindro industrial para armazenar oxigênio usado em hospitais

Medida vem após relatos de problemas de desabastecimento em vários Estados brasileiros; antes, era permitido o uso apenas de cilindros fabricados especificamente para uso hospitalar, de cor verde

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2021 09h19
SANDRO PEREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 16/01/2021 Antes, era permitido o uso apenas de cilindros fabricados especificamente para uso hospitalar, de cor verde

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) flexibilizou as normas para uso de cilindros de oxigênio e medicamentos do chamado “kit intubação” para pacientes graves de Covid-19. A decisão da Agência permite o uso de cilindros industriais para o abastecimento do gás medicinal. Para isso, será necessário usar válvulas especiais e limpar os equipamentos para não haver risco de contaminação cruzada. Antes, era permitido o uso apenas de cilindros fabricados especificamente para uso hospitalar, de cor verde. O industrial é de cor cinza.

Além disso, medicamentos usados na intubação, como anestésicos, sedativos e bloqueadores neuromusculares, poderão ser utilizados apenas com uma notificação à Anvisa. Já os medicamentos estéreis, como os injetáveis, que exigem maior preparação e cuidado, poderão ser distribuídos antes de as empresas concluírem os testes de qualidade. Porém, só podem ser utilizados depois que os resultados forem informados ao órgão. A Agência ainda simplificou a importação de medicamentos por parte de hospitais privados. Eles vão poder comprar o produto diretamente dos fornecedores. Insumos com registro em aberto vão ter a aprovação acelerada para aumentar a oferta, de acordo com o órgão.

As medidas da Anvisa atendem a demandas dos secretários estaduais de saúde e das redes privadas. Na última sexta, a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) divulgou uma carta em que pede ao Ministério da Saúde medidas urgentes diante do risco da falta de medicamentos. Alguns deles, necessários para intubação, teriam o estoque médio suficiente para apenas quatro dias. Neste sábado, 20, metade deste prazo já havia passado. Desta forma, está estabelecida a contagem regressiva de 24 horas para o fim do estoque de medicamentos para intubação na rede privada, entre eles o anestésico propofol, o bloqueador neuromuscular cisatracurio e o Atracúrio, um relaxante muscular que facilita a intubação.

* Com informações do repórter Levy Guimarães