Após pausa, políticos britânicos retomam negociações sobre o Brexit nesta terça (23)

O futuro do país continua incerto – assim como a possibilidade de Theresa May continuar no cargo

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 23/04/2019 09h14
EFEMay também retoma nesta terça as negociações com os trabalhistas numa tentativa de salvar o acordo de separação com a União Europeia

Os políticos britânicos retomam nesta terça-feira (23) as negociações sobre o Brexit depois de uma pausa para aproveitar o sol e calor durante o recesso de Páscoa. O futuro do país continua incerto – assim como a possibilidade de Theresa May continuar no cargo de primeira-ministra.

May também retoma nesta terça as negociações com os trabalhistas numa tentativa de salvar o acordo de separação com a União Europeia. Mas pouca gente acredita que esses encontros com Jeremy Corbyn vão dar em alguma coisa.

Na verdade, pouca gente acredita em Theresa May no momento. Um grupo de parlamentares conservadores, do que seria o equivalente ao baixo clero de Brasília, prepara um novo ultimato para a líder de governo. Como passou vitoriosa por uma moção de desconfiança em dezembro, May não pode ser desafiada oficialmente outra vez até o fim do ano.

A pressão, no entanto, é para que ela voluntariamente se comprometa a deixar o cargo até o final de junho. Apesar do fracasso retumbante em entregar o Brexit, May tem demonstrado uma enorme resiliência para se manter no número 10 de Downing Street.

Tirá-la do cargo tem se mostrado tão complexo quanto entregar o divórcio europeu – mas os político britânicos seguem tentando mesmo assim.

A nova data para o Brexit é o dia 31 de outubro. No meio do caminho, porém, os britânicos terão que participar das eleições europeias marcadas para o final do mês que vem. Um constrangimento para quem votou pela desfiliação quase três anos atrás. E ele pode aumentar ainda mais se de fato os candidatos nacionalistas tomarem conta do processo e acabarem ampliando a presença no parlamento comum.

A velha política também anda bastante descredibilizada por essas bandas, ainda que ninguém saiba exatamente o que significa essa nova política.