Enfrentando oposição, Márcio França pede responsabilidade para que projetos sejam votados na Alesp

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2018 06h35 - Atualizado em 17/07/2018 08h30
Reprodução/FacebookO governador Márcio França pede que os parlamentares votem o projeto não porque ele é de Alckmin, mas sim porque ele seria importante para o Estado

Enfrentando oposição tucana na Assembleia Legislativa de São Paulo, Márcio França pede que parlamentares votem projetos parados na casa. O governador de São Paulo deu a declaração nesta segunda-feira (16) durante visita à feira de calçados Francal, na Zona Norte da capital paulista.

O PSDB é governo no parlamento paulista desde 1995, com a ascensão de Mário Covas ao poder. Só que, com Márcio França (PSB) no poder e candidato à reeleição, os tucanos têm impedido a tramitação até de um projeto que foi apresentado por Geraldo Alckmin.

Se trata da proposta que extingue o Instituto de Pagamentos Especiais de São Paulo, entidade que cuida da carteira previdenciária de advogados e de cartórios. O texto determina a extinção do fundo e o próprio Estado administraria os recursos, colocando mais de R$ 1 bilhão nos cofres estaduais. A verba tem destinação certa, mas, mesmo assim, ajudaria o governo a fechar as contas deste ano no azul.

O governador Márcio França pede que os parlamentares votem o projeto não porque ele é de Alckmin, mas sim porque ele seria importante para o Estado: “tem que separar o episódio administrativo de governabilidade, de responsabilidade administrativa. São Paulo não quer nem saber quem é A, B, partido. No fundo, tem que ter a responsabilidade do que é importante. Não é porque é do Alckmin, é porque o projeto é bom e deve ser aprovado. É jogo da política, mas a política aqui não é boa”.

O impasse político também impediu que os parlamentares entrassem em recesso pela primeira vez em 12 anos. Até agora, os deputados estaduais não votaram a lei de diretrizes orçamentárias para o ano que vem; condição para que eles façam a parada do mês de julho.

*Informações do repórter Tiago Muniz