Meirelles defende desconto maior nos salários de servidores previsto na Previdência de SP

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2019 07h29
Luiz Cláudio Barbosa/Estadão ConteúdoCada categoria busca uma condição diferente antes da votação, algo que aconteceu em Brasilia, durante a discussão da reforma

O secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo Henrique Meirelles considera razoável o aumento de 11% para 17% na alíquota de desconto para servidores da ativa e inativos, dentro da Reforma da Previdência de São Paulo.

Após a cobrança da oposição pela ausência na audiência pública na Assembleia Legislativa no debate do projeto do governador João Doria, o secretário da Fazenda compareceu a reunião fechada com os líderes partidários na casa.

Henrique Meirelles foi questionado sobre a alíquota única, diferente da reforma do presidente Jair Bolsonaro, aprovada no Congresso. “Aqueles que ganham menos pagariam 11% e essa alíquota sobe até 17% – com uma média de 14%. Do ponto de vista fiscal, não ha diferença. É uma questão de discussão parlamentar.”

O tema tem gerado protesto de servidores na Assembleia Legislativa do Estado. Cada categoria busca uma condição diferente antes da votação, algo que aconteceu em Brasilia, durante a discussão da reforma.

O deputado petista Enio Tatto questiona o modelo apresentado pelo executivo estadual.

“É um atropelo danado, a reforma previdenciária do Governo Federal demorou mais de um ano. Aqui em São Paulo eles querem fazer em 15 dias uma reforma que mexe com toda a vida da população e vai repercutir por muitos anos na vida dos funcionários públicos do Estado.

A expectativa é reduzir em R$ 32 bilhões, em 10 anos, o impacto na folha de pagamento com a reforma do Estado. A base governista espera votar, na próxima semana, a reforma da Previdência na Alesp.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos