Oposição: aumento de imposto pode influenciar discussão de denúncia contra Temer

  • Por Jovem Pan
  • 22/07/2017 09h09 - Atualizado em 22/07/2017 10h51
Nilson Bastian / Câmara dos Deputados O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini, disse que a medida pode repercutir negativamente

Oposição diz que alta de tributos poderá minar ainda mais a popularidade do presidente Michel Temer, mas aliados não temem repercussões.

A decisão de subir o PIS/Cofins sobre os combustíveis para aumentar a arrecadação foi criticada por lideranças contrárias ao Governo. Entidades empresariais como a Fiesp e a Confederação Nacional da Indústria se manifestaram contra a elevação dos impostos.

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini, disse que a medida pode repercutir negativamente até na discussão sobre a denúncia na volta do recesso: “eu acho que depende muito de como a população se manifestar”.

O deputado lembrou ainda que o Governo toma a decisão de subir impostos no mesmo momento que libera verbas parlamentares para garantir a continuidade.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, entendeu que Temer errou ao sancionar o teto de gastos antes da aprovação das reformas. “O Governo deve primeiro cortar gastos. Quando você faz aumento é sinal que você não conseguiu cortar gastos”, disse.

Para ele, o aumento da tributação dos combustíveis vai impactar em toda a economia devido à alta do preço dos transportes.

O deputado do PMDB, Carlos Marun, defendeu que o aumento da PIS/Cofins era necessário, mas disse que a medida não deve repercutir na discussão da denúncia: “contente, nenhum de nós está, nem eu. Mas não que isso venha a influenciar uma análise de uma denúncia como essa”.

O Planalto espera arrecadar pouco mais de R$ 10 bilhões até o fim deste ano com o aumento do PIS/Cofins.

*Informações do repórter Anderson Costa