‘Lula teria se saído melhor na administração da pandemia’, diz Pondé

Em entrevista ao Pânico, filósofo criticou a gestão de Jair Bolsonaro e analisou os possíveis cenários das próximas eleições; ‘O ideal seria isolar bolsonaristas e petistas em 2022’, afirmou

  • Por Jovem Pan
  • 19/04/2021 15h44
Imagem: Reprodução/Instagram @lf_pondePara Pondé, nomes como João Doria, Tasso Jereissati, Ciro Gomes e Luiz Henrique Mandetta podem conduzir candidaturas de centro em 2022

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta segunda-feira, 19, o filósofo Luiz Felipe Pondé analisou o cenário político desencadeado durante a pandemia de Covid-19, afirmando que, no período, uma suposta administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria sido melhor do que a realizada pelo presidente Jair Bolsonaro. “Sempre participei da briga, fui um dos primeiros a criticar abertamente o PT. No entanto, de forma alguma podemos dizer que estamos tendo uma administração republicana da crise sanitária no Brasil. A estrutura fisiológica do nosso poder é muito antiga e o PT participou dela, mas discordo que Bolsonaro esteja próximo de um republicanismo limpinho. Levando em conta os governos testados, as experiências de Lula e Bolsonaro, me parece que Lula teria se saído melhor na administração da pandemia“, disse.

Com os olhos nas eleições de 2022, o filósofo ponderou que a escolha de um presidente afastado dos extremos políticos seria benéfica ao país. “O Brasil está em uma situação difícil há muito tempo. O estrago que o PT fez à política brasileira é imenso. Hoje, temos um grupo extremamente grosseiro e despreparado no Poder devido aos estragos do PT na administração federal. Acho difícil que surja uma terceira via, mas o ideal seria isolar bolsonaristas e petistas em 2022. Caso conseguíssemos construir uma candidatura com os nomes de centro disponíveis no mercado, poderíamos encontrar uma solução viável entre os extremos”, afirmou. Questionado sobre as candidaturas viáveis para ocupar a lacuna central no pleito eleitoral, Pondé considerou João Doria, Tasso Jereissati, Ciro Gomes e Luiz Henrique Mandetta.

Confira na íntegra a entrevista com Luiz Felipe Pondé: