5 dicas para turbinar o LinkedIn e conseguir uma vaga no mercado de trabalho

Em tempos de desemprego em alta e distanciamento, a rede social tem sido uma ferramenta ainda mais útil; saiba como explorar a plataforma do jeito certo para ter bons resultados

  • Por Lívia Zanolini
  • 07/05/2021 15h41 - Atualizado em 07/05/2021 16h00
Reprodução/Jovem PanO estrategista de comunicação, Marc Tawil, explica que não basta estar na rede social, é preciso cultivar relacionamentos

A taxa de desemprego, no Brasil, que nos últimos anos já vinha mostrando resultados preocupantes, disparou durante a pandemia da Covid-19. Levantamento do IBGE aponta que, no trimestre encerrado em janeiro, o país registrou 14 milhões e 300 mil desempregados, até então o maior contingente desde 2012, que marcou o início da série histórica. Neste cenário, agravado pelo distanciamento social, quem está em busca de colocação ou pretende mudar de carreira tem encontrado nos espaços virtuais uma forma de ficar por dentro das novidades do mercado de trabalho e de manter contato com os empregadores.

O LinkedIn, a maior rede social profissional do mundo, reúne, hoje, quase 740 milhões de usuários, com a participação de 55 milhões de empresas. Só no Brasil, são 47 milhões de perfis. Mas, para se destacar em meio a tantas conexões, é preciso mais do que uma foto caprichada e a simples descrição das experiências profissionais. O estrategista de comunicação Marc Tawil, do podcast Autoperformance da Jovem Pan, traz cinco dicas para deixar o perfil no LinkedIn atrativo aos recrutadores. Primeiro, mantenha o perfil completo e atualizado, o chamado perfil campeão, com foto de boa qualidade. Preencha o cabeçalho e fala das tuas experiências”. 

Tawil explica, ainda, que não basta estar na rede social, é preciso cultivar relacionamentos.  “Siga as empresas do seu interesse e busque interagir com essas pessoas. Cerca de 1% das pessoas costuma postar regularmente. Então se você não está lá ou não posta regularmente, você já sabe quem tá perdendo. Terceiro, produza conteúdo de valor. Mostre que você é alguém interessante por meio daquilo que você posta ou que comenta e compartilha. Interaja com suas conexões. Procure conhecer quem são os headhunters das empresas e do mercado. E, por fim, quinta dica, não bate boca, não seja tóxico. Rede social é vida pública e não privada”.

Mas apesar das vantagens das redes sociais, não significa que você tenha que abandonar o bom e velho currículo. Lembre-se que quanto mais objetivo, melhor! Comece com os dados pessoais e só coloque foto se for uma exigência da empresa. Privilegie as experiências profissionais e formações que estejam relacionadas à colocação que você busca. E, claro, mantenha as informações sempre atualizadas. Tá Explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!