Galisteu diz que Dayane foi ouvida por psicólogos em ‘A Fazenda 13’: ‘Não compactuamos com abuso’

Apresentadora contou que a modelo também falou com a direção e que jurídico da Record cuida do caso

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2021 18h15 - Atualizado em 25/09/2021 18h19
Reprodução/Instagram/galisteuoficial/25.09.2021Adriane Galisteu falou sobre as acusações contra Nego do Borel

Cobrada pelo público, a apresentadora Adriane Galisteu se pronunciou nas redes sociais sobre as acusações de assédio e estupro envolvendo o cantor Nego do Borel em “A Fazenda 13”. “Amores, estou aqui para dizer que eu, Adriane Galisteu, e a Record TV não compactuamos em hipótese alguma com nenhum tipo de abuso, assédio, racismo, machismo, violência, discriminação ou preconceito contra a mulher ou qualquer outro gênero! Dito isso, estamos desde as primeiras horas do dia acompanhando tudo, juntamente com o corpo jurídico da Record TV e toda a direção do programa para apuração rigorosa e total esclarecimentos dos fatos”, escreveu. A apresentadora reafirmou que o caso está sendo investigado. “A participante Dayane foi ouvida por psicólogos e pela direção-geral. Então, espero vocês ao vivo logo mais, às 22h30.”

As acusações contra o cantor começaram após a festa da madrugada deste sábado, 25. Em vídeos que viralizaram nas redes sociais, Nego do Borel aparece deitado na mesma cama que Dayane, que estava bêbada. Os peões chegaram a perguntar a modelo se ela queria continuar na cama com o funkeiro, mas ela não respondeu por estar sob forte efeito de álcool. Os participantes orientaram Nego do Borel a não tentar nada com a modelo, mas, em um dos vídeos que circulam nas redes sociais, é possível ouvir Dayane pedindo para o cantor parar. O que de fato aconteceu entre eles é o que está sendo investigado, entretanto o público está pressionando a Record, e também os patrocinadores do programa, para expulsar o peão. Nas redes sociais de Dayane, foi informado que a equipe jurídica da ex-participante do “Big Brother” da Itália foi à sede de “A Fazenda 13” junto com a polícia. A Record disse que está investigando o caso.