Ceni topa ser auxiliar, mas descarta assumir o São Paulo por enquanto

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2016 14h26

Maior ídolo da história do São PauloMaior ídolo da história do São Paulo

A cautela deve, mesmo, impedir Rogério Ceni de assumir o comando técnico do São Paulo em 2017. Na última segunda-feira, o atual presidente tricolor, Leco, confirmou o interesse do clube em contratar o ex-goleiro como treinador para o ano que vem. No entanto, o ídolo são-paulino ainda não se considera pronto para exercer tal função. As informações foram reveladas pelo comentarista Beetto Saad durante o programa Esporte em Discussão desta terça-feira, na Rádio Jovem Pan. 

Eu me encontrei com o Rogério no sábado. Ele me disse que está muito animado e vai se aprimorar na carreira de treinador. Eu perguntei se ele iria para o São Paulo, e ele me disse que, como treinador principal, não. Mas ele tem, sim, o anseio de se tornar técnico de futebol e está disposto a fazer um certo estágio. Ser auxiliar técnico… Se vai ser no São Paulo ou em outro time, a gente não sabe. Mas já está se preparando para tal“, informou Beetto.

A tese de que Rogério Ceni vai se precaver até aceitar assumir o comando técnico do São Paulo ganha ainda mais força quando se resgata uma entrevista dada pelo próprio ex-jogador em abril, quando ele ainda estava prestes a viajar à Europa para fazer cursos de treinador. Durante conversa exclusiva com Nilson Cesar, para a Rádio Jovem Pan, Ceni revelou ter certo de receio de trabalhar no clube pelo qual atuou por mais de duas décadas. 

Quem sabe, no futuro, eu possa estar dentro do São Paulo. Num futuro um pouco mais distante, eu acho. É um sonho que eu tenho, mas misturado com um pouco de receio por tudo que foi construído durante estes 25 anos e meio como atleta do clube. Um sonho que às vezes me deixa na dúvida se vale à pena a exposição e o risco, admitiu Ceni, na ocasião. 

Embora a diretoria prometa reforços de peso para a próxima temporada, o maior ídolo da história do São Paulo pode preferir aguardar um período de mais estabilidade para colocar toda a sua reputação à prova no cargo que mais pressiona profissionais no futebol.  

Por enquanto, Rogério Ceni tem se preocupado, mesmo, em concluir a especialização na Europa. Ele iniciou o curso de treinadores da Federação Inglesa de Futebol no mês passado, quando teve a oportunidade de conversar com o alemão Jurgen Klopp, do Liverpool, e o italiano Claudio Ranieri, do Leicester, e vai voltar à Inglaterra na próxima sexta-feira para cursar o segundo módulo.   

Se não aceitar nenhum convite depois da conclusão desta etapaCeni poderá ingressar no curso da Uefa e partir atrás das licenças A e B, que permitem que um técnico trabalhe em qualquer clube do mundo.