“Falso 9”, Tardelli é a esperança de gols da Seleção Brasileira na Copa América

  • Por Jovem Pan
  • 09/06/2015 10h35
Aos 30 anos

Esperança de gols na nova fase da Seleção Brasileira que tenta se reconstruir após o fracasso na Copa do Mundo de 2014, Diego Tardelli recebeu do técnico Dunga a pesada camisa 9 do Brasil para a disputa da Copa América 2015.

Mesmo sem a característica de um centroavante de área, Tardelli ocupa na Seleção a posição que foi tão bem preenchida ao longo da história, mas que no último Mundial deixou a desejar com Fred. Reformulando o futebol da equipe canarinho, Dunga viu no atacante ex-Atlético Mineiro o jogador que alia presença de área com velocidade e movimentação.

“Diego Tardelli é um jogador que técnica e taticamente evoluiu nos últimos anos. É um jogador que dá movimentação, sai da área, abre espaço para o meia-atacante e pra quem faz a diagonal da esquerda. E é hoje, até pela carência nessa função, um jogador que merece a confiança do grupo” analisa o comentarista da Rádio Jovem Pan, Mauro Beting.

Aos 30 anos, Tardelli demorou para ganhar espaço na Seleção. Convocado pela primeira vez em 2009, durante a primeira passagem de Dunga, o atacante jogou cinco partidas e não se firmou. Mesmo vivendo grande momento jogando pelo Galo entre 2013 e 2014, o atacante viu seu companheiro de time, Jô, ser lembrado por Felipão para a Copa do Mundo, e não teve oportunidade de brigar por uma vaga no time que tentou o hexa. Com a volta de Dunga, porém, a chance apareceu. Presente em cinco dos nove jogos do Brasil sob o comando do treinador gaúcho, o camisa 9 marcou três gols, dois deles na importante vitória sobre a Argentina, em amistoso disputado em outubro de 2014.

O desempenho de Tardelli nos primeiros amistosos da nova era Dunga agradou ao treinador. No início de 2015, o atacante se transferiu para o Shandong Luneng, da China e mesmo jogando em um mercado secundário, de nível mais baixo, mostrou que ganhou mesmo a confiança do comandante.

“Até pela qualidade e inteligência tática desenvolvida pelo Tardelli, ele pode jogar como um 9 típico. E ele dá muitas opções para os atacantes, é um jogador muito inteligente, um jogador não só de área que faz gols, mas vem pelos lados, eventualmente compõe a marcação, e até para deixar o Neymar mais solto, ele pode recuar, marcar pelo meio ou pelo lado esquerdo. Essa troca de posição deles é uma boa sacada do Dunga”, comenta Mauro Beting.

A Copa América 2015, disputada no Chile, começa no próximo dia 11. A Seleção Brasileira está no grupo C, ao lado de Peru, Colômbia e Venezuela, e a estreia da equipe de Dunga será no dia 14, diante dos peruanos.