Nove meses após parada cardíaca, Eriksen volta a ser convocado pela Dinamarca

Na lista divulgada pelo técnico Kasper Hjulmand, o armador de 30 anos aparece na relação de 23 jogadores que irão enfrentar Holanda e Sérvia, em amistosos marcados para o final deste mês

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2022 10h29 - Atualizado em 15/03/2022 10h31
Reprodução/Twitter/@BrentfordFC Eriksen pode voltar a jogar futebol após 258 dias Eriksen em ação com a camisa do Brentford, da Inglaterra

Christian Eriksen parece estar vivendo um sonho. Nove meses após sofrer uma parada cardíaca a precisar ser ressuscitado dentro de campo, o meio-campista voltou a ser chamado, nesta terça-feira, 15, para defender a seleção dinamarquesa. Na lista divulgada pelo técnico Kasper Hjulmand, o armador de 30 anos aparece na relação de 23 jogadores que irão enfrentar Holanda e Sérvia, em amistosos marcados para o final deste mês. A Dinamarca, vale lembrar, já está classificada para a Copa do Mundo de 2022, que será realizada entre 21 de novembro e 18 de dezembro, no Catar.

Depois de sofrer a parada cardíaca na partida entre Dinamarca e Finlândia, no dia 12 de junho, pela primeira rodada da Eurocopa, Eriksen passou por vários testes clínicos e teve um ICD (cardioversor desfibrilador implantável) implantado em seu coração. Como na Itália é proibido jogar com o aparelho, o meio-campista rescindiu seu contrato com a Inter de Milão e fechou com Brentford, da Inglaterra. Até o momento, o armador fez apenas três jogos pela equipe, que é a 15ª colocada da Premier League e tenta se afastar da zona de rebaixamento para a 2ª divisão.

Desta forma, Eriksen se aproxima ainda mais do sonho de disputar sua terceira Copa do Mundo pela Dinamarca – ele também participou do Mundial de 2010 e 2018. “Meu objetivo é jogar a Copa do Mundo do Catar. Eu quero jogar. Essa tem sido a minha mentalidade o tempo todo. É o objetivo, um sonho. Se eu vou ser escolhido, é outra coisa. Mas o meu sonho é voltar [para a seleção]. Eu tenho certeza que eu consigo voltar porque eu não sinto nada diferente. Fisicamente, eu estou de volta à minha melhor forma. Esse tem sido o meu sonho e ainda falta algum tempo [para a Copa]. Então, até lá, eu apenas vou jogar futebol e provar que estou de volta no mesmo nível. A seleção dinamarquesa é muito importante neste processo. Meu sonho é voltar a jogar com a Dinamarca no Parken e mostrar que aquilo foi um contratempo que não vai acontecer de novo”, disse o jogador, em sua primeira entrevista após o incidente.