Tatuagem profética de Sterling mostra que sonho de garoto virou realidade

Autor do primeiro gol no triunfo sobre os alemães, o jogador britânico tem, em seu braço esquerdo, um desenho com um menino vestindo a camisa 10 nas costas e olhando para o Estádio de Wembley

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2021 15h56 - Atualizado em 29/06/2021 17h24
EFE/EPA/Andy RainSterling marcou na vitória da seleção inglesa diante da Alemanha, pela Eurocopa

Raheem Sterling transformou nesta terça-feira, 29, um sonho de garoto em realidade. Ao comandar a seleção inglesa na vitória diante da Alemanha, em partida válida pelas oitavas de final da Eurocopa, o atacante conseguiu ser o “Rei de Wembley” que tanto desejava, cumprindo uma profecia que está gravada em sua própria pele. Autor do primeiro gol no triunfo sobre os alemães, o jogador britânico tem, em seu antebraço esquerdo, uma tatuagem com um menino vestindo a camisa 10 nas costas, segurando uma bola e olhando para o mítico estádio. O motivo? Criado nos arredores de Wembley, localizado na cidade de Londres, ele passou a maior parte da infância imaginando fazer história no local.

Em entrevista concedida à emissora britânica “ITV Sport”, antes de embarcar para a Rússia mirando o título da Copa do Mundo de 2018, Sterling contou o motivo para fazer a tatuagem. “Esta é uma tatuagem do Estádio de Wembley”, disse o atacante apontando para a tinta em seu braço esquerdo. “Quando menino, costumava andar por Wembley ou andar de bicicleta e pensava: ‘Espero que um dia eu possa usar aquele número dez naquele estádio, estar na minha cidade natal e, com sorte, ser o Rei de Wembley'”, completou o jogador de 26 anos, que coleciona passagens por times de outras cidades inglesas. Revelado pelo Liverpool, ele foi negociado em 2015 com o Manchester City, onde já faturou 11 títulos, entre eles três vezes o Campeonato Inglês.

Sterling, é verdade, já havia sido protagonista em Wembley nas “magras” vitórias do “English Team” por 1 a 0 diante de Croácia e República Tcheca, ambas válidas pela fase de grupos da atual edição da Eurocopa. Desta vez, no entanto, o gol teve um sabor especial. Conhecida como “freguesa” da Alemanha, a seleção inglesa foi eliminada pela rival em duas Copas (1990 e 2010) e uma Euro (1996), e vinha de sete jogos sem vencer a equipe alemã no estádio londrino. Fora isso, o atacante manteve o sonho da Inglaterra de levantar uma taça, algo que não acontece desde o Mundial de 1966. Agora, o foco é nas quartas de final, que será disputada em Roma, na Itália, diante de Suécia ou Ucrânia, no próximo sábado, 2.