Gabigol cobra justiça por morte de congolês espancado no RJ: ‘Não podemos normalizar’

Moïse Kabagambe, de 24 anos, foi espancado por cinco homens na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 01/02/2022 14h28 - Atualizado em 02/02/2022 14h42
Reprodução/Instagram/libertadore/27.11.2021 Gabigol comemorando Gabigol é atacante do Flamengo e da seleção brasileira

Gabriel Barbosa, atacante do Flamengo e da seleção brasileira, usou sua conta no Twitter, na tarde desta terça-feira, 1º, para cobrar as autoridades do Rio de Janeiro a encontrar os responsáveis pela morte Moïse Kabagambe, imigrante congolês que foi espancado por cinco homens na Barra da Tijuca. “Esse não é o Rio que aprendi a amar e que me recebeu de braços abertos!!! Queremos justiça, não podemos normalizar crimes como esse!! Que seja feita justiça a Moïse Mugenyi e toda sua família!! Estamos juntos de vocês!!!”, escreveu Gabigol, que está em Minas Gerais, concentrado para a partida entre Brasil e Paraguai, marcada para as 21h30 de hoje, no Mineirão, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

Moïse Kabagambe, de 24 anos, havia emigrado para o Brasil em 2014 como refugiado político, ao lado da mãe e de irmãos, fugindo da guerra no Congo. Segundo a família, ele havia ido a um quiosque no Posto 8, na Barra da Tijuca, para cobrar o pagamento de dois dias que havia trabalhado e teria sido então espancado até a morte por cinco pessoas, no dia 24 de janeiro. “Os agentes analisaram imagens de câmeras de segurança e estão, neste momento, em diligências para identificar e prender os autores do crime”, afirmou a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que investiga o crime. Os parentes de Kabagambe fizeram um protesto no sábado, 29, na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, e no domingo, no cemitério do Irajá, durante o enterro.