Justiça espanhola rejeita pela 2ª vez pedido de liberação de Sandro Rosell

  • Por EFE
  • 31/07/2017 16h15 - Atualizado em 31/07/2017 16h36
EFE/Albert OlivéSandro Rosell está preso desde o o dia 25 de maio

A juíza Carmen Lamela, da Audiência Nacional espanhola, negou o pedido da defesa para pôr em liberdade o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, preso desde o dia 25 de maio. O ex-cartola é acusado de ficar com 6,5 milhões de euros da venda de direitos audiovisuais de 24 jogos amistosos da Seleção Brasileira.

É a segunda vez que a justiça espanhola nega um pedido de liberação do dirigente. Na semana passada, o mesmo tribunal rejeitou um recurso de apelação contra a decisão da juíza de que Rosell fosse preso de maneira provisória.

No documento em que negou o segundo pedido do ex-presidente do Barça, Lamela também definiu que outro dos investigados na chamada operação Rimet, o advogado e político andorrano Joan Besolí, também continue detido.

Segundo a juíza, existe risco de fuga, de destruição de provas e de voltar a cometer uma infração penal, já que existem indícios fundamentados da suposta participação de ambos em delitos de pertinência a organização criminosa e de lavagem de dinheiro. Outro motivo para mantê-los na prisão é que o Brasil estuda iniciar investigações relacionadas ao caso.