Palmeiras quebra série invicta do Atlético-PR e aumenta vantagem na liderança

  • Por Estadão Conteúdo
  • 14/08/2016 20h49
PR - BRASILEIRÃO/ATLÉTICO-PR X PALMEIRAS - ESPORTES - Comemoração do gol de Vitor Hugo, do Palmeiras, em partida contra o Atlético Paranaense, válida pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, na Arena da Baixada, em Curitiba, neste domingo (14). 14/08/2016 - Foto: WILLIAM BITTAR/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDOPalmeiras vence Atlético-PR fora de casa e assume a liderança

O Palmeiras entrou em campo na Arena da Baixada para enfrentar o Atlético-PR sabendo o que o time precisaria fazer para se manter na liderança do Brasileirão. Quase perfeito em seu sistema defensivo, o alviverde foi cirúrgico: soube manter a posse de bola, atacar para dar fôlego aos volantes do time, utilizar a bola parada como arma fatal e abrir três pontos para o segundo colocado na tabela.

Após ter ficado no banco de reservas nas últimas duas rodadas, o atacante Róger Guedes voltou a ser titular na linha de frente alviverde, que ainda contava com Dudu e Erik.

O triunfo acabou com a série invicta do Atlético em sua casa, onde joga sobre grama sintética, neste Brasileirão. Com estes três pontos, o Palmeiras chegou aos 39, três acima do vice-líder Santos. O Atlético tem 30 pontos e aparece na sétima colocação da tabela.

O JOGO – Apesar de jogar fora de casa, o Palmeiras procurou se impor desde o começo da partida. O problema é que o Atlético-PR era um dos melhores mandantes do campeonato. O alviverde teve a primeira boa chance de abrir o placar aos 8 minutos. Em cobrança de falta, Dudu acertou a barreira – a bola bateu na mão do jogador do time paranaense, mas a arbitragem não assinalou o pênalti. 

O Atlético-PR tinha dificuldade de superar a boa marcação do Palmeiras. Preso à marcação, Walter quase não recebeu passes que pudessem resultar em chances de gol – a maioria das bolas chegava ao atacante depois de um chutão da defesa. 

O Palmeiras buscava a troca de passes, dominava o meio-campo, mas o time não tinha o chamado “último passe”. O trio de atacantes da equipe teve poucas chances reais na primeira etapa – foram sete finalizações contra apenas uma dos paranaenses, mas todas para fora. 

Mas aos 44, a equipe de Cuca usou muito bem uma das melhores armas do time no campeonato: a bola parada. Dudu bateu escanteio com efeito, o zagueiro Vitor Hugo se livrou da marcação de Hernani e testou firme para abrir o placar. 

No segundo tempo, o Palmeiras poderia ter ampliado o placar aos seis minutos. Moisés fez linda jogada pela esquerda, colocou a bola no meio das pernas do zagueiro Paulo André, dentro da área, e cruzou rasteiro para Róger Guedes. O atacante conseguiu desviar a bola, mas mandou pela linha de fundo. 

Paulo Autuori resolveu apostar no banco de reservas e com as alterações tornou seu time muito mais ofensivo. Aos 11 minutos, Hernani ganhou na intermediária, se aproximou da área e chutou forte, mas a bola passou à direita da trave. Os paranaenses quase empataram aos 19 minutos. Em cobrança de escanteio pela direita, Paulo André subiu e cabeceou firme, mas Jailson espalmou.

Até o fim do jogo entrou em cena o ótimo toque de bola palmeirense. Cuca mandou a campo Cleiton Xavier, Rafael Marques e Fabricio, travou a adversário e celebrou com a gigantesca torcida palmeirense na Arena da Baixada a vitória fora de casa – essencial para qualquer time que deseja conquistar o título do Brasileirão. 

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-PR 0 x 1 PALMEIRAS

ATLÉTICO-PR – Santos; Léo (Matheus Rossetto), Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani e Luciano Cabral (André Lima); Lucas Fernandes, Yago (Marcos Guilherme) e Walter. Técnico: Paulo Autuori.

PALMEIRAS – Jailson; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Moisés; Róger Guedes (Cleiton Xavier), Erik (Fabrício) e Dudu (Rafael Marques). Técnico: Cuca

GOL – Vitor Hugo, aos 44 minutos do primeiro tempo. 

CARTÕES AMARELOS – Léo, Thiago Santos, Hernani, Erik, Otávio e Cleiton Xavier.

ÁRBITRO – Jean Pierre Gonçalves Lima (RS).

RENDA E PÚBLICO – Não divulgados.

LOCAL – Arena da Baixada, em Curitiba (PR).