Covid-19: bebê morre no Ceará pela doença; SP diagnostica recém-nascido

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2020 08h11
IGOR MOTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAntes de ser diagnosticado, o recém-nascido dividia o mesmo ambiente com outros três bebês

Um recém-nascido foi diagnosticado com o novo coronavírus no Hospital e Maternidade Santa Joana, na cidade de São Paulo. Ele permanece isolado na UTI Neonatal exclusiva, sem proximidade com pacientes e quadro estável.

Inicialmente, o bebê apresentou um problema gastrointestinal, sintoma menos recorrente da doença causada pela covid-19. Os sintomas mais comuns são tosse seca, febre e dificuldade para respirar.

Antes de ser diagnosticado, o recém-nascido dividia o mesmo ambiente com outros três bebês. Um deles também testou positivo para o coronavírus, mas, como estava assintomático, recebeu alta no sábado.

O Hospital Santa Joana disse que os casos de coronavírus identificados na instituição estão “dentro da expectativa”, por ser uma maternidade de grande porte e ter estrutura para atender gestantes com casos de alta complexidade.

O Santa Joana registrou também a entrada de uma paciente com 32 semanas de gestação e quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), e, por isso, houve necessidade de antecipar o parto. O feto, porém, não sobreviveu, em consequência da gravidade do quadro de saúde materno.

Outras gestantes que passaram pela maternidade e testaram positivo para o coronavírus estão em isolamento domiciliar, segundo o hospital, por apresentar quadro leve da doença e se recuperam “dentro do esperado”.

Ceará

Uma bebê de 3 meses de idade diagnosticada com o novo coronavírus morreu na sexta-feira (3), no Ceará. A criança apresentava sintomas semelhantes à gripe e deu entrada em um hospital em Iguatu, a 380 km de Fortaleza, onde morreu em decorrência de complicações como pneumonia.

Os primeiros sintomas da bebê surgiram no dia 5 de março. No dia 11, a família viajou para Fortaleza para levá-la ao Hospital Albert Sabin, onde fazia acompanhamento médico por ser portadora da Síndrome de Bartter.  A suspeita é que a criança tenha se contaminado na viagem.

O Brasil já registrou, ao menos, três mortes de adolescentes pela covid-19, o que reforça a gravidade da doença mesmo para quem está fora do grupo de risco.

*Com informações do Estadão Conteúdo