Cidade de São Paulo tem alta em hospitalizações por síndrome respiratória

Vírus Influenza, causador da gripe, puxa o número para cima; internações por Covid-19 continuam a cair a cada semana, mas suspeitas de infecção pelo coronavírus voltam a crescer

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2021 09h33 - Atualizado em 29/12/2021 12h13
MISTER SHADOW / ASI / ESTADÃO CONTEÚDO Hospitais começam a desmobilizar leitos de UTI Internações por síndrome respiratória voltam a crescer, mas casos por Covid-19 continuam a cair; Vírus Influenza, causador da gripe desponta nos dados

A cidade de São Paulo tem alta no número de hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), puxada pelo vírus da Influenza, causador da gripe. A informação é do Painel Covid-19 da Secretaria Municipal de Saúde, que pontua semanalmente o número de casos confirmados para a Srag, dividindo-a entre Covid-19, Influenza, Srag não especificada, outros vírus e casos em investigação. Na semana de 5 a 11 de dezembro foram confirmados 983 internações pela síndrome respiratória no município, tendo sido 149 casos da Influenza e outros 289 ainda não especificados. O número saltou para 1.062 na semana seguinte, do dia 12 ao 18, com 243 casos da gripe e 507 ainda em investigação. Na semana de Natal, entre 19 e 25, o total de internações por Srag chegou a 547, sendo 149 de Influenza e 344 ainda em investigação.

Os dados do painel apontam também que as internações por casos confirmados de Covid-19 continuam caindo semana a semana, de 59 para 46 e depois 30, de 5 a 25 de dezembro. Até novembro, a gripe não se destacava nos dados do painel e as internações eram puxadas para cima principalmente pela Srag não especificada, Covid-19 e outros vírus. Segundo a Secretaria de Saúde, até a última terça-feira, 28, foram registrados 251.589 pessoas com quadro respiratório, sendo 115.235 suspeitos de Covid-19 na capital paulista, frente a 111.949, com 56.220 suspeitos de Covid-19, em novembro. Houve um aumento de 112% nos casos de sintomas gripais entre novembro e dezembro. A elevação das suspeitas de infecção pelo coronavírus foi 93,6% até o momento.

Devido ao aumento no registro de atendimentos de pessoas com sintomas respiratórios, a prefeitura de São Paulo destinou parte dos leitos do Hospital Municipal da Brasilândia para o acolhimento e tratamento dos casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (Srags) na cidade. Nesta terça-feira (28), havia 120 pacientes internados em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs), e 240 em leitos de enfermaria no hospital. Segundo a Secretaria de Saúde Municipal, a estratégia é concentrar os pacientes em uma unidade para o devido acompanhamento e realizar o painel viral das pessoas internadas, contribuindo para a identificação da cepa viral de Influenza, entre outros vírus. A partir da próxima quinta-feira, 30, a capital paulista passa a realizar testagem rápida para o diagnóstico de Influenza A e B, inédita na cidade, em todas as 469 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município.

Na última terça-feira, 28, o mundo ultrapassou, pela primeira vez, 1 milhão de casos de Covid-19 em 24 horas, segundo a plataforma Our World in Data. Sob a nova ameaça da variante Ômicron, mais transmissível, os Estados Unidos foi o país que, sozinho, mais pesou na contagem, tendo registrado 512.553 casos, seguido pelo Reino Unido, com 318.699 pessoas infectadas, e Espanha, com 214.619. A Europa é responsável por quase metade do total de 1,45 milhão de casos confirmados na última segunda, tendo atingido 763,876 casos de infecções pelo novo coronavírus. O número pode ser ainda mais grave pela subnotificação e falta de testes.