Covid-19: São Paulo começa a vacinar gestantes sem comorbidades na próxima segunda

Grávidas acima de 18 anos serão vacinadas na capital paulista e nos municípios de São Bernardo do Campo e Campinas; nas demais cidades do Estado, a imunização desse grupo será iniciada na quinta-feira, 10

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2021 14h18 - Atualizado em 04/06/2021 16h36
ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 26/01/2021 Por enquanto, apenas gestantes que possuem comorbidades estão sendo vacinadas em todo o Estado de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, nesta sexta-feira, 4, que a vacinação contra a Covid-19 em gestantes e mulheres que deram à luz até 45 dias, sem comorbidades, começa na próxima segunda-feira, 7, na capital paulista e nos municípios de São Bernardo do Campo e Campinas. Nas demais cidades do Estado, a imunização desse grupo será iniciada na quinta-feira, 10. Cerca de 400 mil mulheres desses grupos devem ser vacinadas. Segundo o governo paulista, o Ministério da Saúde entregou cerca de 150 mil doses da Pfizer ao Estado. “Nós já trabalhamos com gestantes com comorbidades e agora estamos abrindo essas faixas para as sem comorbidades”, disse a Coordenadora Geral do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula. As grávidas em qualquer período gestacional deverão apresentar relatório ou laudo médico com indicação do profissional para tomar a vacina. As puérperas podem apresentar certidão de nascimento da criança.

Mais cedo, durante visita à barreira sanitária montada no aeroporto de Congonhas, que agora conta com o ônibus laboratório para realização da coleta das amostras para testagem de Covid-19 em passageiros sintomáticos, na Zona Sul da capital, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) já havia anunciado a imunização das gestantes acima de 18 anos no começo da próxima semana. Além das gestantes, o prefeito destacou que também está prevista para a próxima segunda-feira a vacinação de pessoas com comorbidades e com deficiência acima dos 18 anos. Lembrando que, por enquanto, as grávidas serão imunizadas apenas com as doses da Pfizer e da CoronaVac, haja vista que a aplicação da vacina de Oxford/Fiocruz para esse grupo segue suspensa no país desde maio por orientação do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa.

Dia D da vacinação contra a Covid-19

No próximo sábado, 5, São Paulo promove Dia D de vacinação contra a coronavírus. A ação será voltada especialmente para pessoas que ainda não receberam a segunda dose. A campanha acontecerá em todas as Unidades Básicas de Saúde do Estado, das 8h às 17h. Levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, nesta quinta-feira, 3, apontou que 403.323 pessoas que já receberam a primeira dose dos imunizantes estão com a segunda dose atrasada. O total inclui 139.826 pessoas que não tomaram a vacina de Oxford/Fiocruz e outros 263.497 referentes à vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês, Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. Com base nas estatísticas populacionais previstas pelo Ministério da Saúde para cada faixa etária ou público específico, o governo de São Paulo define as remessas de doses necessárias para cada uma das 645 cidades avançar em cada etapa da campanha. Os quantitativos de primeira e segunda dose são idênticos, realizados em duas entregas diferentes para que o município realize a aplicação e conclua a imunização das pessoas. Ainda assim, a pasta encaminhou, na semana passada, 279.815 doses extras da CoronaVac para cerca de 500 cidades. Os imunizantes são exclusivos para a aplicação de segunda dose. Este número foi informado à pasta estadual pelas próprias prefeituras, em consulta realizada nos 645 municípios pelo Cosems (Conselho de Secretários Municipais de Saúde) na última semana.