Senado aprova prioridade para mulher chefe de família em auxílio emergencial

O projeto foi aprovado durante votação simbólica e segue para a sanção presidencial

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2020 20h03 - Atualizado em 08/07/2020 20h04
ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAuxílio emergencial tem ajudado brasileiros a enfrentar a crise provocada pela Covid-19

Os senadores aprovaram nesta quarta feira, 8, projeto de lei que prioriza as mães chefes de família no recebimento do auxílio emergencial, em cota dupla, quando há informações conflitantes sobre a guarda dos filhos. Assim, quando o pai também se declarar responsável pelos dependentes a prioridade será das mães.

O auxílio emergencial é pago em valor dobrado, de R$ 1.200, para a chefes de família monoparentais, quando os filhos são criados só pela mãe ou só pelo pai. A relatora da proposta, senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), manteve o teve vindo da Câmara e apenas acatou emenda de redação.

Em seu relatório, Rose menciona que são “numerosos os relatos de mães e filhos que se encontram desamparados, porque o pai – por exemplo, um ex-cônjuge – foi quem sacou os recursos” do governo. O projeto foi aprovado em votação simbólica e segue agora para a sanção presidencial.

*Com informações do Estadão Conteúdo