Investimento estrangeiro no Brasil cai 50% em 2020 e vai a R$ 34 bilhões

Valor é o menor desde 2009 e reflete momento delicado da economia global e desafios domésticos, como complexidade tributária e retração do consumo

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2021 12h07
Rodrigo Felix Leal/AEN-PRLevantamento da CNI mostra que produtividade está em ritmo lento desde crise dos anos 2015 e 2016

O investimento direto no país (IDP) foi de US$ 34,2 bilhões em 2020, recuo de 50,6% na comparação dos US$ 69,2 bilhões registrados em 2019, segundo números revelados pelo Banco Central nesta quarta-feira, 27. Este é o pior resultado para o ano desde 2009. O índice é composto por ações de longo prazo, como a ampliação de plantas de produção ou chegada de novos empreendimentos. A queda do capital estrangeiro reflete o momento delicado da economia mundial por conta da crise do novo coronavírus e as incertezas da capacidade de recuperação dos índices. No caso do Brasil, o cenário é agravado pela complexidade do sistema tributário, a retração do mercado consumidor e a falta de diálogo entre os setores e o governo federal. O anúncio da saída da Ford é apontado como um dos exemplos destes desafios para a manutenção de grandes empresas no país.

O aporte de brasileiros no exterior também recuou na comparação com 2019. O investimento direto no exterior de 2020 totalizou US$ 16,4 bilhões, ante aplicações líquidas de US$22,8 bilhões em 2019.  Esses desinvestimentos ocorridos em 2020 concentraram-se em empresas do setor financeiro, segundo informações do Banco Central. Os dados da autoridade monetária também mostram que após oito meses consecutivos de superávit, as transações correntes foram deficitárias em US$ 5,4 bilhões em dezembro de 2020, ante déficit de US$ 4,7 bilhões em dezembro de 2019. Em 2020, o déficit corrente somou US$ 12,5 bilhões, ante déficit de US$ 50,7 bilhões em 2019.

Os dados sobre a balança comercial mostram que as exportações somaram US$ 210,7 bilhões em 2020, redução de 6,7% ante os US$ 225,8 bilhões observados em 2019. Somente em dezembro, as exportações de bens totalizaram US$18,5 bilhões, mesmo valor de dezembro de 2019. Já as importações somaram US$ 167,4 bilhões em 2020 e US$185,3 bilhões em 2019, recuo de 9,7%. O déficit na conta de serviços manteve a tendência de retração observada durante a pandemia e totalizou US$ 1,6 bilhão em dezembro de 2020, recuo de 55,4% ante dezembro de 2019, quando atingiu US$ 3,5 bilhões. Esta redução decorreu de menores déficits nas contas de viagens, aluguel de equipamentos e transportes. Em 2020, o déficit em serviços somou US$ 19,9 bilhões, redução de 43,2% em relação ao déficit de 2019, US$ 35,1 bilhões.