EUA enviam Pompeo à Arábia Saudita para coordenar resposta a ataques

Pompeo responsabilizou diretamente o Irã pelos ataques com drones às refinarias sauditas. Os ataques, no entanto, foram reivindicados por um grupo rebelde do Iêmen, apoiado pelo Irã

  • Por Jovem Pan
  • 17/09/2019 15h11 - Atualizado em 17/09/2019 15h12
JIM LO SCALZO / EFEMike Pompeo, secretário de Estado dos EUA

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, viajará nesta terça-feira à Arábia Saudita para coordenar a resposta dos Estados Unidos aos ataques contra duas refinarias sauditas, enquanto a Casa Branca promete que tomará “qualquer medida necessária” para defender seus interesses e os dos aliados.

“O secretário de Estado viajará hoje à Arábia Saudita para falar sobre a nossa resposta” aos ataques, anunciou o vice-presidente americano, Mike Pence, durante um discurso no think tank conservador, encontro de intelectuais americanos para discussão de temas relacionados a política, promovido pelo Heritage Foundation, em Washington.

Pence declarou que a inteligência americana segue “trabalhando diligentemente para revisar as provas” se o Irã esteve por trás do ataque. Segundo o vice, o presidente Donald Trump “determinará nos próximos dias as medidas adequadas” a serem adotadas. No último domingo (15), o governo americano afirmou que suas reservas de petróleo de emergência poderão ser usadas, caso necessário, para garantir o fornecimento mundial.

“Mas os Estados Unidos adotarão qualquer medida necessária para defender o nosso país, as nossas tropas e os nossos aliados no Golfo (Pérsico). Podem contar com isso. Estamos carregados e prontos para defender nossos interesses e os nossos aliados na região. Que ninguém se confunda”, acrescentou Pence.

O vice-presidente voltou a usar a mesma expressão – “carregados e prontos” – que Trump utilizou no domingo, e que em inglês faz referência às armas de fogo, o que gerou especulações sobre uma possível resposta militar dos Estados Unidos.

“A nossa campanha de pressão máxima contra o Irã está funcionando. Se o Irã realizou este ataque para pressionar o presidente Trump para que relaxe (a pressão), fracassará”, advertiu Pence.

No sábado (14), duas refinarias da estatal saudita Aramco, a maior empresa do mundo no setor, foram atacadas por drones, causando uma redução de aproximadamente metade da produção da petroleira.

Os ataques foram reivindicados por um grupo rebelde do Iêmen, apoiado pelo Irã. No entanto, Pompeo responsabilizou diretamente o Irã pelos incidentes. A coalizão liderada pela Arábia Saudita rejeitou a argumentação e denunciou que as armas utilizadas nos ataques eram iranianas.

Sem acusar diretamente o Irã de lançar o ataque, a Arábia Saudita disse que aguarda os resultados finais de uma investigação sobre o caso.

*Com informações da EFE