Reino Unido, União Europeia e Noruega chegam a 1º acordo pós-Brexit sobre pesca

Os limites acordados promoverão uma gestão mais sustentável da captura de peixes; pesca de bacalhau desse ano deve ser 10% menor que a de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2021 15h37
Pixabay Art_of_PboeskenBacalhaus passam pelo processo de secagem em varal de madeira na Noruega

O Reino Unido, a União Europeia e a Noruega assinaram nesta terça-feira, 16, um acordo trilateral sobre os limites de pesca em 2021. De acordo com comunicado divulgado pelo governo britânico, o tratado promoverá uma gestão sustentável da captura de peixes, incluindo o bacalhau, para garantir o futuro ao longo prazo da indústria pesqueira. A expectativa é que, dentro do limite de pesca acordado, a atividade garanta £ 184 milhões ao Reino Unido. O texto também ressalta que essa foi a primeira negociação dos britânicos como um estado costeiro independente desde o Brexit.

Das populações de peixes do Mar do Norte que são geridas conjuntamente com a União Europeia e a Noruega, cinco foram fixadas em consonância ou abaixo do nível de capturas recomendado pelo Conselho Internacional de Exploração do Mar (CIEM). Dessa forma, haverá diminuição na pesca de bacalhau (-10%), solha (-2%), escamudo (-25%) e arenque (-7,4%), em comparação com 2020, para que essas espécies possam se recuperar. No entanto, haverá aumento na pesca da arinca (+ 20%) e do badejo (+ 19%).

Desde 1980, a questão da pesca no Mar do Norte era resolvida através de acordo bilateral de cooperação entre a União Europeia e a Noruega. No entanto, a concretização do Brexit e a saída do Reino Unido do bloco econômico no ano passado tornou a situação mais complexa. Enquanto a solução não se resolvia, os pescadores europeus e noruegueses ficaram sem poder acessar a zona de captura.