Ex-ministro João Santana é o entrevistado do ‘Direto ao Ponto’ desta segunda-feira

Programa comandado por Augusto Nunes vai ao ar a partir das 21h30 pelo canal Jovem Pan News, no YouTube, e pelo Panflix

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2021 10h00 - Atualizado em 18/06/2021 14h07
DivulgaçãoJoão Santana foi ministro no mandato do ex-presidente Fernando Collor de Mello

A bancada do Direto ao Ponto, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 21, recebe o advogado, consultor e ex-ministro da infraestrutura João Santana. Formado pela Universidade de São Paulo (USP), ele é sócio fundador da CS Consulting. Durante sua carreira na política, atuou em diversos governos nas esferas municipal, estadual e federal. De 10 de maio de 1991 a 13 de maio de 1992, foi ministro no mandato do ex-presidente Fernando Collor de Mello, onde foi um dos responsáveis por tocar o plano de privatização do governo, que teve seu maior momento na venda da Usiminas, um dos ícones do estatismo brasileiro. Em entrevista ao vivo e presencial, serão abordados, entre outros assuntos, o tamanho do Estado, a necessidade das privatizações e os problemas que emperram os avanços ensaiados pelo Brasil. Além do apresentador Augusto Nunes, a bancada será composta pela jornalista e comentarista da Jovem Pan Denise Campos de Toledo, pelo editor-chefe do E-Investidor do Estadão, Márcio Kroehn, pelo jornalista, economista e colunista da IstoÉ Dinheiro e portal IG Luis Artur Nogueira, e pelo editor-assistente da Revista Oeste, Cristyan Costa.

Já passaram pela sabatina semanal da Jovem Pan personalidades importantes como o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o governador de São Paulo, João Doria, o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel e o procurador federal Deltan Dallagnol. Além disso, o programa recebeu ministros do governo de Jair Bolsonaro, como o da Saúde, Eduardo Pazuello, do Meio Ambiente, Ricardo Salles, da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Na última segunda-feira, o ex-jogador e comentarista da Jovem Pan Vampeta foi o entrevistado. Ele comentou sobre os problemas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a situação do futebol brasileiro e histórias dos tempos de gramado. Perguntado sobre o porquê os atletas da seleção não se manifestam sobre os problemas na Confederação, Vampeta deu a letra. “Não somos leigos de tudo, principalmente quem atua no Brasil. São gerações diferentes, eu sei que a nossa classe de jogadores parece unida, mas é muito desunida. Se pegar pelo mundo, os jogadores que se manifestam são os argentinos, o resto é muito pouco. É difícil a gente se manifestar, mas sabemos dos problemas que têm”, disse.