Após atitude da diretoria, Nilson Cesar prevê Corinthians ‘leve’ no Derby: ‘Grana influencia em tudo’

Uma novidade extracampo pode motivar ainda mais o Timão no clássico contra o Palmeiras; para o narrador do Grupo Jovem Pan, os jogadores alvinegros entrarão em campo “com mais disposição”

  • Por Jovem Pan
  • 09/09/2020 13h55
Montagem sobre fotos/Reprodução/Jovem Pan/Marco Galvão/Estadão ConteúdoNilson Cesar comentou sobre a quitação de parte dos salários do Corinthians antes do clássico contra o Palmeiras

A diretoria do Corinthians começou a quitar, na última terça-feira, 09, parte dos salários atrasados do elenco. Dois dos quatro vencimentos foram pagos, e a segunda metade deve ser acertada até o próximo dia 15. Para o narrador Nilson Cesar, do Grupo Jovem Pan, o fato tem tudo para fazer com que o time alvinegro entre em campo “mais leve” no clássico contra o Palmeiras, na próxima quinta-feira, 10. O jogo, válido pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, será disputado às 19h15 (de Brasília), na Neo Química Arena.

“Tem alguns caras no Corinthians que seguram bem o reggae. Ganham 600, 700 conto por mês… Então, três meses de atraso não afetam tanto. Mas tem outros que não ganham isso. Aí vem atraso na prestação do carro, dificuldade para fazer compra no mercado, para pagar a escola do filho, aluguel, conta de luz, água… Isso tudo não espera. Você acha que a cabeça do cara é a mesma? Por isso que, quando algumas pessoas vêm com esse papinho de que não afeta a cabeça dos jogadores, isso é conversa mole para boi dormir!”, afirmou Nilson Cesar, durante participação no Esporte em Discussão.

“Pode não afetar os caras que ganham 600, 700 mil por mês, que conseguem segurar o reggae, mas com certeza mexe com a cabeça dos outros atletas que ganham menos. É pressão da família, dos amigos que são ajudados… Aí, o cara puxa o extrato. Se chegou dinheiro na conta, ele vai para o campo completamente diferente! O cara fica leve! Então, isso é papo furado! Grana influencia diretamente em tudo! Fique aí com a sua conta no vermelho, sem dinheiro para pagar os seus compromissos, para ver… Você acha que o cara tem a mesma disposição? Você acha que o jogador vai ficar bem? Se pagarem direitinho, os caras vão entrar em campo com ânimo diferente!”, acrescentou.

A resolução das pendências só será possível graças a um “socorro” que o Corinthians ganhou nesta semana. Ontem, o clube alvinegro recebeu os R$ 25,7 milhões da venda de Carlos Augusto ao Monza, da Itália. O Timão repassou 40% dos direitos econômicos do jogador ao clube europeu. Até sexta-feira, 11, a equipe de Parque São Jorge também receberá os R$ 117 milhões da venda de Pedrinho ao Benfica, de Portugal. Somados os dois negócios, o Corinthians terá mais de R$ 142 milhões em caixa, o que possibilitará acertar os salários atrasados com o elenco.

A falta de pagamento gerou especulações e até um desentendimento entre o grupo de jogadores do Corinthians e Edílson Capetinha, ídolo do clube. Isto porque o ex-atacante informou, na semana passada, que os atletas alvinegros cogitaram fazer uma greve para protestar contra os salários atrasados. O fato revoltou o elenco corintiano, que se uniu e gravou um vídeo desmentindo o pentacampeão mundial. Na última quinta-feira, Vampeta, atual comentarista do Grupo Jovem Pan, disse que “o pessoal do Corinthians” estava “tudo p*** com o Edílson”.

om desempenho ainda claudicante, o Corinthians volta a campo na próxima quinta-feira, 10. Às 19h15 (de Brasília), o time alvinegro faz clássico com o Palmeiras, na Neo Química Arena, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe comandada por Tiago Nunes ainda não embalou e ocupa apenas a 11ª colocação da competição nacional. Já o Verdão é o único invicto do campeonato e, neste momento, é o sexto colocado.

Confira, abaixo, o comentário completo de Nilson Cesar no Esporte em Discussão: