Com uma morte por Covid-19 a cada 5 minutos, SP inicia toque de recolher nesta segunda-feira

Aumento das medidas sanitárias busca conter o avanço da doença; ao todo, mais de 10 mil pacientes estão internados em unidades de terapia intensiva no Estado

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2021 07h31 - Atualizado em 15/03/2021 07h33
REUTERS/Carla CarnielServiços essenciais continuam liberados, mas com horários de trabalho escalonados

Sem poder trabalhar por causa da quarentena em São Paulo, a cabeleireira Andreia, aproveitou a noite do sábado, 13, para circular pela cidade. “É você estar mais presa, se sentir presa dentro da sua casa própria casa. É ruim, péssimo, desesperador”, opinou. Quando o relógio virar 20h em São Paulo, qualquer cidadão que estiver nas ruas poderá ser abordado ou questionado para onde está indo. A orientação será o retorno para a casa até as 5h, quando se encerra o toque de recolher. A partir desta segunda-feira, 15, quem estiver circulando em qualquer cidade do Estado no horário de restrição deverá apresentar motivo de urgência, como saúde e trabalho. A Polícia Militar vai ajudar na fiscalização. Multas só serão aplicadas em caso de reincidência.

Além disso, praias e parques ficarão fechados. Atividades esportivas, como os jogos do Campeonato Paulista, assim como cerimônias religiosas estão proibidas. Nos bares e restaurantes, só será liberado o atendimento drive-thru e o delivery. Lojas de construção também não podem abrir. Serviços essenciais continuam liberados, mas com horários de trabalho escalonados. Para o professor Fernando as medidas são necessárias para conter o avanço do coronavírus. “Acho que é uma questão da gente se adaptar mesmo, porque nesse momento é necessário para que a gente possa colher fruto daqui a duas semanas e ver como vamos entrar nesse novo momento.”

Neste final de semana, o governo de São Paulo intensificou a fiscalização contra eventos clandestinos. No sábado, uma festa com quase 600 jovens foi interrompida na Zona Sul da capital. A cena impressionou até o delegado Eduardo Botero. “Foi alguma coisa que a gente nunca imaginava. Eram centenas e centenas de pessoas sem nenhuma janela sequer, portas fechadas, em uma verdadeira Sodoma e Gomorra dos dias de hoje”, disse. Na madrugada de domingo, 14, a polícia e a Vigilância Sanitária encontraram 150 pessoas em um cassino irregular, em uma área nobre da capital. Entre os frequentadores flagrados consumindo bebida alcoólica e descumprindo o distanciamento social, estavam o atacante Gabigol, do Flamengo e o cantor Mc Gui. Mais de 100 estabelecimentos já foram autuados pelo Procon, com multas podem chegar a R$ 10 milhões.

O presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizete, pede pulso forte aos gestores públicos neste momento. “Essa é a orientação da Frente Nacional de Prefeitos: analise a situação e diante disso tome as medidas necessárias, mesmo que extremas, para impedir a circulação do vírus”, afirmou. O Estado de São Paulo registrou uma nova morte por Covid-19 a cada cinco minutos nas duas primeiras semanas de março. Pela primeira vez no decorrer da pandemia, o número de internados em leitos de terapia intensiva ultrapassou a marca de 10 mil pessoas.

*Com informações do repórter Vinicius Moura