Prefeitura de São Paulo pretende intensificar concessões de banheiros e piscinões

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2018 06h38 - Atualizado em 19/07/2018 08h58
Jovem PanPrefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), confirma que a empresa vencedora da concessão do estádio será conhecida em agosto

A Prefeitura de São Paulo busca alternativas para manter o ritmo do plano de desestatização. O prefeito Bruno Covas, do PSDB, decidiu ampliar facilidades a empresas que demonstram interesse em instalar banheiros públicos na capital paulista.

O objetivo é atrair ainda mais investimentos do setor privado. Durante encontro do Sindicato da Habitação de São Paulo, Bruno Covas explicou a elaboração do projeto. “O projeto foi alterado pelos vereadores, retirando outras possibilidades de remuneração do parceiro privado. A gente viu a distância que as publicidades devem ficar do banheiro para facilitar e ampliar a procura de empresas por essa concessão”, disse.

No plano original, da gestão João Doria, as empresas poderiam explorar com publicidades as laterais dos banheiros instalados e mantidos. Covas determinou que os painéis podem ser colocados em um raio de até cinco metros das cabines.

Durante o evento do Secovi-SP, o prefeito também anunciou a discussão de um projeto para a concessão dos piscinões da cidade de São Paulo. “Temos 31 piscinões que a manutenção custam R$ 150 milhões/ano. Temos um plano para desenvolver tantos outros. A Secretaria de Obras está coordenado a elaboração de um edital um edital para que possamos ter a concessão desse espaço”, revelou.

Bruno Covas destacou ainda o avanço dos processos de privatização do Autódromo de Interlagos e do complexo do Anhembi. O prefeito de São Paulo ainda confirmou que no dia 16 de agosto será revelada a empresa vencedora da concessão do estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. A empresa será responsável pela administração do local pelos próximos 35 anos.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles