‘Rodrigo Pacheco tem condições de vencer o pleito do Senado’, afirma Otto Alencar

Partido do senador, o PSD, declarou apoio ao candidato do DEM na eleição que acontece em fevereiro

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2021 08h36
LÚCIO BERNARDO JUNIOR/CÂMARA DOS DEPUTADOSSobre um possível apoio do PT, Otto Alencar disse saber que já aconteceram reuniões em busca de entendimento

O líder do PSD no Senado, Otto Alencar, acredita que Rodrigo Pacheco é um bom nome para substituir Davi Alcolumbre na presidência da Casa. Na terça-feira, 5, o partido declarou apoio ao candidato do DEM na eleição que acontece em cerca de um mês. “Nós tínhamos a possibilidade de ter um nome nosso, que seria o Antonio Anastasia, mas ele resolveu não aceitar a candidatura. Ontem nos reunimos pela terceira vez e decidimos, por unanimidade dos onze senadores, apoiar Rodrigo Pacheco. Pela manhã fui a Belo Horizonte e conversei com o prefeito Alexandre Kalil e eles tiveram um entendimento, a bancada mineira se uniu.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Alencar acredita que Pacheco teve “participação eficiente” nos últimos dois anos no Congresso. “Ele fez bons amigos, teve uma capacidade de aglutinar muito boa. Não posso afirmar quantos votos ele teria, porque não conversei com outras bancadas. Mas tive algumas reuniões com senadores de outros partidos e Pacheco tem simpatia de vários. Até agora ele é o único candidato colocado, mas acredito que ele é competitivo e com condições de vencer o pleito.” De acordo com ele, a decisão do PSD foi tomada em sintonia com temas colocados por Pacheco — como mesa diretora, decisões de forma colegiada e reforma administrativa.

Pacheco afirmou reconhecer a importância das reformas, sobretudo a administrativa. “As coisas começam pela Câmara, como foi no caso da Previdência e a trabalhista. Espero que isso possa andar, temos todo interesse por apreciar a reforma administrativa porque é um tema fundamental para o Brasil. A bancada do PSD está disposta a apreciar essa matéria e votar para tornar o Estado mais eficiente e menos pesado”, argumentou. Sobre um possível apoio do Partido dos Trabalhadores, Otto Alencar disse saber que já aconteceram reuniões em busca de entendimento — mas nenhuma decisão foi tomada. Em relação a um possível apoio em troca de cargos, o senador acredita que seria inconveniente marcar posições antes de ganhar a eleição. “Toda eleição tem como princípio a prudência.”