Entenda o que é o Foro de São Paulo citado por Lula em seu discurso

Este ano, a organização internacional, que já exerceu grande influência no cenário político da América Latina, completa 31 anos; saiba como surgiu o movimento e quais são as principais pautas

  • Por Lívia Zanolini
  • 10/03/2021 13h13 - Atualizado em 10/03/2021 13h21
Luiz Prado / Estadão ConteúdoLuiz Inácio Lula da Silva e Fidel Castro durante reunião dos partidos e grupos de esquerda da América Latina, em julho de 1990, quando foi criado o Foro de São Paulo

O Foro de São Paulo é uma organização de esquerda, que reúne mais de 120 partidos políticos de quase 30 países da América Latina e do Caribe. Criado em 1990, por iniciativa dos ex-presidentes Fidel Castro e Luiz Inácio Lula da Silva, que, na época, era dirigente do PT, teve como ponto de partida um seminário internacional que discutiu a crise do socialismo após a queda do Muro de Berlim, em 1989. Como o primeiro encontro aconteceu na cidade de São Paulo, o Foro acabou ganhando o nome da capital paulista. E, a partir daí, o movimento se consolidou.

Entre os principais membros estão o Partido Comunista de Cuba, o Partido dos Trabalhadores no Brasil, o Partido Socialista Unido da Venezuela e o Partido Socialista do Chile. Há, inclusive, registros de participação das Farc – as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – em conferências realizadas nos primeiros anos de organização. Aqui no país, além do PT, PDT, PCdoB e PCB também integram o grupo, que tem como pautas centrais a oposição ao neoliberalismo e ao imperialismo, o fortalecimento das lutas sociais, sindicais e populares e a integração dos países em torno de problemas políticos, econômicos e sociais.

Especialmente na primeira década dos anos 2000, o Foro viveu o auge pela ligação com presidentes de importantes países do continente. Em 2019, Caracas, na Venezuela, foi sede do último Encontro Anual do Foro de São Paulo. Entre as discussões, a libertação de Lula, até então preso após condenação em processo da Lava Jato. O evento provocou a reação de vários adversários políticos. Entre eles, o presidente Jair Bolsonaro, que, nas redes sociais, mencionou a ligação da organização com as Farc e facções criminosas.

Para a ala esquerda, a organização tem papel importante na articulação de lutas populares e no fortalecimento de movimentos sociais. Para a ala direita, trata-se de mais uma ameaça comunista, para alguns até criminosa, que avança contra o capitalismo e a democracia. O fato é que, com a derrota nas urnas de líderes da esquerda nos últimos anos, o Foro acabou escapando aos holofotes. Mas, segundo consta na página oficial da organização, as atividades continuam acontecendo. Tá Explicado?