Flexitarianismo: o que é e por que é tendência no Brasil?

O estilo de vida é uma alternativa para 63% dos brasileiros e tem movimentado ainda mais o mercado de proteínas vegetais

  • Por Conteúdo Patrocinado
  • 04/11/2020 15h00 - Atualizado em 04/11/2020 16h44
RitaE/PixabayAlém de agradar o público vegetariano e flexitariano, as proteínas vegetais vão ao encontro da necessidade de criar novas opções alimentares para abastecer a crescente população mundial

Quase trinta milhões de pessoas, ou seja 14% da população, se declara vegetariana no Brasil. Há oito anos, esse público era 75% menor. O que mostra que tem muita gente buscando opções que não seja somente a proteína animal para o cardápio. Mas entre aqueles que sempre comem carne e os que preferem não comer, estão os consumidores que procuram o meio termo. Buscam seguir a dieta vegetariana em boa parte do tempo, mas não abrem mão de comer algum tipo de proteína animal. São os adeptos do flexitarianismo, que nada mais é do que a junção das palavras flexível e vegetarianismo. O estilo de vida já é uma alternativa para 63% dos brasileiros que querem apenas diminuir e não cortar completamente as carnes da alimentação, segundo a pesquisa da Sociedade Brasileira Vegetariana. Neste contexto, as proteínas vegetais se apresentam como uma opção para reduzir o consumo sem impactar tanto o paladar.

É o caso da linha INCRÍVEL da Seara, que reúne produtos 100% vegetais. São alimentos feitos de soja, grão de bico e até ervilha, mas que reproduzem o sabor e a textura da carne. Segundo o diretor de marketing da Seara, José Cirilo, a procura por esses produtos é cada vez maior. “A linha Incrível Seara nasceu para atender as necessidades do consumidor brasileiro. Mais uma inovação que conversa com o consumidor flexitariano, que é aquele que troca, pelo menos uma vez na semana, a proteína animal, pela vegetal. Já são nove itens no portfólio da Incrível Seara, que acabou de se tornar líder de mercado no segmento. Muitas novidades estão vindo por aí e a gente quer que Incrível Seara continue inovando e revolucionando esse segmento”. Além de agradar o público vegetariano e flexitariano, as proteínas vegetais vão ao encontro da necessidade de criar novas opções alimentares para abastecer a crescente população mundial. Nos próximos 30 anos, a ONU estima que o mundo deva ter um aumento populacional em mais de 2 bilhões de pessoas. E alimentar tanta gente é um desafio que precisa ser encarado desde já. Tá Explicado?