Os pets podem pegar Covid-19?

Casos de animais infectados em Hong Kong, Nova York e em outros lugares do mundo deixaram muitos donos de cães e gatos com a pulga atrás da orelha

  • Por Lívia Zanolini
  • 23/10/2020 10h00 - Atualizado em 23/10/2020 10h50
Eric Seals/ Imagn Content Services/ReutersEm caso de diagnóstico positivo do dono, é importante que o pet também fique em isolamento

Algumas notícias que surgiram durante a pandemia de Covid-19 têm preocupado especialmente quem tem animais de estimação. Em Hong Kong, um cachorro chegou a ser diagnosticado com o novo coronavírus depois que o dono foi hospitalizado com a doença. Pouco tempo depois, dois gatos em Nova York também testaram positivo para o vírus. E, ainda nos Estados Unidos, o caso de um pastor alemão ganhou o mundo. O animal também teve teste confirmado para o novo coronavírus e acabou sendo sacrificado. Depois, exames detectaram um possível câncer. Todas essas histórias, claro, acabam deixando muita gente sem saber o quanto os pets estariam expostos ao vírus. Será que eles realmente podem pegar e transmitir a Covid-19?

A resposta é não, segundo o virologista Paulo Eduardo Brandão, que é professor na Faculdade de Medicina Veterinária da USP. “Raros cães e gatos foram encontrados infectados pelo novo coronavírus, que é o vírus causador da Covid-19. Além disso, esses animais foram hospedeiros terminais. Não transmitiram o vírus entre si e não transmitiram o vírus para as pessoas. Tiveram sintomas diversos, não necessariamente relacionados à Covid-19″, explica, ressaltando que pets não transmitem a doença. Brandão esclarece, ainda, que cães e gatos têm coronavírus específicos, que não são transmitidos aos humanos e nada têm a ver com o vírus causador da pandemia.

Nos Estados Unidos, um laboratório também confirmou que o novo coronavírus não é uma ameaça para esses animais. Após desenvolver um teste e aplicá-lo em milhares de pets, nenhum dos exames teve resultado positivo. A Organização Mundial da Saúde também já se manifestou dizendo que não há evidências suficientes de que animais de estimação possam transmitir o vírus aos humanos. Mesmo assim, a orientação é não abrir mão das medidas de higiene e proteção individual na hora de lidar com os bichinhos. Mesmo que não haja relatos de animais que pegaram e transmitiram a doença, é possível que eles “carreguem” o vírus quando em contato com alguém infectado. Por isso, em caso de diagnóstico positivo do dono, é importante que o pet também fique em isolamento. Tá explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!