Eliminação no futebol, lesão no judô e reabilitação no vôlei: Confira o balanço do 9º dia das Olimpíadas

Bons resultados no boxe também foram destaques na noite, que foi marcada por eliminações no atletismo e na natação

  • Por Jovem Pan
  • 30/07/2021 15h00 - Atualizado em 30/07/2021 15h31
Reprodução/Twitter @timebrasilVitória do vôlei masculino foi um dos destaques da noite

Depois de uma noite com medalhas na ginástica e no judô, o Brasil viveu um dia complicado nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Além da trágica eliminação no futebol feminino para o Canadá, nos pênaltis, que acabou com o sonho da medalha de ouro na modalidade, o Brasil também viveu momentos tristes no judô, com a lesão de Maria Suelen, que sentiu dores no joelho durante a luta contra a francesa Romane Dicko e ficou de fora do restante das lutas da categoria acima de 78 kg. Entre pontos negativos, um dos destaques positivos do dia da delegação brasileira foi a vitória no vôlei masculino contra os Estados Unidos por 3 sets a 1, garantindo a classificação da seleção para a próxima fase. Abner Teixeira também foi bem, venceu a luta das quartas de final e garantiu uma medalha para o Brasil no boxe.

O primeiro dia do atletismo foi marcado por eliminações. No revezamento 4×400 misto, que faz sua estreia nas Olimpíadas, a equipe brasileira bateu o recorde sul-americano, com tempo de 3.15.89, mas não conseguiu a classificação para a final, ficando na 12ª posição na classificação geral. Na prova do salto triplo, Núbia Soares ficou na 17ª posição, sendo que apenas as 12 melhores se classificaram para a final – a marca mínima para a classificação foi de 14,21 m. Já Geisa Arcanjo, do arremesso de peso, conseguiu a marca de 16,46m na primeira tentativa e queimou as duas seguintes, conseguindo a 15ª colocação, também ficando de fora da final. O Brasil ainda foi eliminado nos 100 m rasos feminino, no salto em altura masculino e nos 3.000 m com obstáculos. Por outro lado, Alison dos Santos avançou à semifinal dos 400 m com barreiras. No handebol, o Brasil começou bem contra a Argentina, mas levou um susto e viu os hermanos encostarem no placar. Mesmo assim, a vitória veio, e a seleção masculina segue viva na briga pela classificação. Outro resultado positivo veio com a boxeadora Bia Ferreira, que estreou com triunfo sobre Shih-Yi Wu, de Taiwan, no peso leve até 60 kg e avançou às quartas de final na competição. Na natação, Bruno Fratus garantiu vaga na final dos 50 m livre e, no vôlei de praia, Bruno e Evandro venceram a dupla da Polônia e asseguraram a liderança de seu grupo.

Nos 50 metros nado livre feminino o Brasil não teve o mesmo rendimento que no masculino com a experiente Etiene Medeiros. A brasileira nadou abaixo do esperado e terminou sua bateria na oitava e última posição. Quem também não conseguiu chegar longe foi Guilherme Costa, que acabou na sexta posição de sua série nos 1.500 metros nado livre. A natação brasileira completou sua participação nos 4×100 metros medley masculino. O grupo formado por Guilherme Guido (costas), Felipe Lima (peito), Vinicius Lanza (borboleta) e Marcelo Chierighini (livre), por sua vez, foi desclassificado por “queimar” uma das transições. Nos saltos ornamentais, Luana Lira ficou na 21ª posição e foi eliminada. Pepê Gonçalves sofreu com penalidades e ficou de fora da final da canoagem slalom K-1. No judô, Rafael “Baby” Silva, perdeu para o multicampeão Teddy Riner e deu adeus às chances de conquistar o bronze. No boxe, Keno Machado foi eliminado após decisão dos juízes. Por fim, Martine Grael e Kahena Kunze subiram para a 3ª posição na vela, enquanto Robert Scheidt caiu para sexto.