Doria sobre Bolsonaro com Covid-19: ‘Que ele siga as orientações da medicina’

Desde o início da crise, governador e presidente trocaram diversas farpas sobre a condução da pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2020 15h39
Mister Shadow/Estadão ConteúdoJoão Doria é o atual governador de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou uma mensagem no Twitter em que deseja “pronta recuperação” ao presidente Jair Bolsonaro e pede “que ele siga as orientações da medicina” para que, “em breve, seja restabelecido”. A mensagem foi publicada pouco após Bolsonaro informar que havia recebido diagnóstico positivo para a Covid-19. Desde o início da crise, governador e presidente trocaram diversas farpas sobre a condução da pandemia. Doria vinha cobrando que o presidente agisse seguindo recomendações dos cientistas para o controle da pandemia, e Bolsonaro vinha criticando o isolamento social defendido pelo governador paulista. Ainda em março, eles tiveram uma discussão pública, via teleconferência, quando houve uma reunião para discutir a pandemia.

Os gestores do Centro de Contingência da Coronavírus em São Paulo também comentaram a confirmação do teste do presidente, durante entrevista coletiva realizada nesta tarde, no Palácio dos Bandeirantes, para o balaço diário da evolução da doença. “Que possa o mais rápido possível se recuperar e voltar a exercer as suas atividades novamente”, disse o médico João Gabbardo, que era da equipe do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que deixou o cargo após atritos com o presidente.

Já o coordenador do Centro de Contingências, o epidemiologista Paulo Menezes, comentou a nova defesa à cloroquina feita pelo presidente. “Nós colocamos diversas vezes que não há evidências de efetividade do uso da cloroquina, especialmente em casos de Covid-19 mais leves. No entanto, a Secretaria de Saúde e o Estado de São Paulo têm se posicionado de que é possível a prescrição da cloroquina a critério do médico e do paciente. Pode ser uma escolha essa prescrição e nós mantemos essa posição”, disse.

*Com informações do Estadão Conteúdo