‘Cortina de Fumaça’: Brasil Paralelo lança documentário que investiga interesses internacionais no meio ambiente brasileiro

Em entrevista ao ‘Morning Show’, Brasil Paralelo afirmou que novo documentário reúne depoimentos de políticos da Ditadura Militar aos governos petistas

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2021 13h34 - Atualizado em 29/07/2021 14h44
Reprodução/Jovem Pan

Em entrevista ao Morning Show nesta quinta-feira, 29, integrantes do Brasil Paralelo revelaram o motivo pelo qual seu mais novo comentário, ‘Cortina de Fumaça’, que retrata as questões políticas que envolvem o meio ambiente no Brasil, traz entrevistados de todos os espectros políticos. “Foi uma preocupação desde o início, porque a pauta do meio ambiente foi pauta politizada. Se tornou aquela coisa: Time A fala algo, Time B fala outra. Quando a gente definiu esse documentário, já sabíamos que tínhamos que conversar com pessoas que tinham autoridade tanto em estudo quanto em vivência. Então, não dá para negar uma pessoa como Aldo Rebelo, que foi Ministro da Defesa no governo Dilma, redator do Código Florestal, não tem como não falar com o cara porque ele é de esquerda. Da mesma forma que não dá para deixar de falar com Alysson Paulinelli porque ele foi da ditadura, perderíamos toda uma experiência que só aquele cara tem fundando a Embrapa.”

Segundo integrantes do Brasil Paralelo, o filme propõe um debate sobre o interesse econômico e político de países europeus no meio ambiente brasileiro, como por exemplo a França. “A França, do Macron, não é muito falada nos noticiários daqui, mas internacionalmente, uma das maiores pressões que ele recebe são dos agricultores do país. Eles pressionam ele para não perder o subsídio da União Europeia. A França é o país que mais recebe subsídio para a agricultura, com a desculpa de que oferecem para outros países de lá. Se eles não fornecerem para esses países, e quem compete com eles em segundo lugar somos nós, fica mais difícil. O que tivemos nos últimos anos foi um acordo da União Europeia com o Mercosul que melhorava as condições de tributação dos nossos produtos agropecuários para lá. Cada um defende o seu, entende? O Macron é um político, e ele quer se eleger no país dele.”

Confira na íntegra a entrevista com o Brasil Paralelo: