Afinal de contas, adulto deve ou não beber leite?

O ser humano é o único mamífero que continua consumindo a bebida, mesmo após a infância; saiba se esse hábito é saudável

  • Por Lívia Zanolini
  • 18/12/2020 15h07 - Atualizado em 18/12/2020 18h50
Pixabay/CouleurSegundo a Associação Brasileira de Nutrologia, a recomendação é que mulheres bebam, no máximo, um copo e meio de leite integral por dia; já os homens podem consumir até o dobro disso

O leite é um alimento completo: tem proteína, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais. Somente a proteína do soro do leite tem diversos benefícios, como ações imunológicas e antioxidantes. Nutrólogos recomendam que crianças até 12 anos, desde que não sejam intolerantes à lactose, devem consumir leite. Além de conter os nutrientes que elas precisam, estudos mostram que o alimento também auxilia na redução da obesidade infanto-juvenil. Mas e os adultos? Devem ou não beber leite? Segundo o presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas, a bebida é uma opção saudável em qualquer idade, mas é fundamental que o consumo seja equilibrado. “Todos nós precisamos dos nutrientes presentes no leite para manter o bom funcionamento do organismo. Quando o consumo é feito de forma equilibrada, só há benefícios para a saúde. O problema está no excesso. Entre 9 e 10% do leite integral tem gordura saturada, que é aquela gordura que faz mal para o coração. Além disso, estudos recentes mostram que consumir leite além do recomendado pode contribuir para o desenvolvimento de doenças como câncer de mama, câncer de próstata, câncer de bexiga”.

A recomendação é que mulheres bebam, no máximo, um copo e meio de leite integral por dia. Já os homens, por terem mais músculos e queimarem gordura mais facilmente, podem consumir até o dobro disso. Apesar de a bebida ser uma importante fonte de cálcio, não é a única. Os adultos precisam de cerca de 1.000 mg do mineral, por dia, para suprir as necessidades do organismo. Enquanto um copo de 200 ml de leite tem cerca de 240 mg de cálcio, cem gramas de sementes de gergelim têm 825 mg. O nutriente também está bastante presente nas folhas de coentro desidratadas (784 mg/100 g), no mix de cereais (584 mg/100 g), na sardinha (550 mg/100 g) e na couve refogada (177 mg/100 g). A regra, então, é moderação e variedade no cardápio. Se você gosta, beba leite! Mas também procure substituir parte do consumo de gordura animal, presente não só nos lácteos, como também nas carnes, pela gordura vegetal encontrada no abacate, castanhas e sementes. Esse hábito pode reduzir em até 24% o risco de doença cardiovascular e em até 25% o risco de AVC. Tá Explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!