Sabia que as mulheres são as maiores consumidoras de produtos eróticos no Brasil?

Levantamento mostra que, durante os primeiros meses de quarentena, 66% dos atendimentos realizados em lojas físicas e virtuais pesquisadas foram direcionados ao público feminino

  • Por Lívia Zanolini
  • 20/11/2020 15h44 - Atualizado em 20/11/2020 15h57
PixabaySegundo sexóloga, a maior presença das mulheres no segmento está ligada ao fato de, no contexto geral, elas serem mais abertas às descobertas do corpo e da sexualidade

O mercado erótico deve fechar este ano com faturamento acima de 2 bilhões de reais, no Brasil. A projeção é de crescimento de 4% nas vendas, em relação ao ano passado, apesar de todas as restrições ao comércio durante o isolamento social. Alguns produtos chegaram a ter aumento de 50% nas vendas nos primeiros meses de quarentena. A explicação é que, com a redução das opções de lazer, muitos têm encontrado nos produtos sensuais uma forma de se divertir. A maior parte destes consumidores são mulheres, segundo pesquisa da plataforma de informações Mercado Erótico. Tendência que tem se confirmado nos últimos anos. O levantamento mostra que, durante os primeiros meses de quarentena, 66% dos atendimentos realizados em lojas físicas e virtuais pesquisadas foram direcionados ao público feminino.

Para a a sexóloga e colunista do portal Jovem Pan, Paula Napolitano, a maior presença das mulheres no segmento está ligada ao fato de, no contexto geral, elas serem mais abertas às descobertas do corpo e da sexualidade. “Com o empoderamento feminino tão em alta, muitas mulheres estão olhando mais para si e se permitindo explorar o próprio prazer. As mulheres também saem na frente por terem essa ‘permissão’ de aprender mais sobre a sexualidade. O que a cultura reprime nos homens, como se eles não pudessem ter dúvidas sobre o sexo. As mulheres, muitas vezes, também se preocupam mais com o prazer do outro e em como se aperfeiçoar para dar esse prazer. E geralmente são elas que procuram acessórios que ajudem a apimentar a relação, sair da rotina ou mesmo dar mais prazer para ambos”.

Além da participação expressiva das mulheres, outros dados sobre o consumo de produtos eróticos chamam a atenção. Mais da metade dos clientes têm entre 25 e 34 anos. Em seguida, estão os consumidores na faixa dos 35 a 44 anos. Os itens preferidos são lingeries, fantasias sensuais, vibradores, lubrificantes e gel para massagem. E sabe onde está concentrada a maior parte deste público? Metade das vendas feitas em todo o país foram para moradores do estado de São Paulo. Minas Gerais aparece em segundo lugar, com 10% das vendas. Tá explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!