Exclusão escolar no Brasil; como lidar com o problema que se agravou na pandemia

O número de crianças e adolescentes sem acesso ao ensino formal passou de 1 milhão em 2019 para 5 milhões no final do ano passado, segundo o Unicef; a Educação no país corre o risco de voltar a patamares de 20 anos atrás

  • Por Lívia Zanolini
  • 04/10/2021 15h28 - Atualizado em 04/10/2021 18h15
Pixabay / klimkinEspecialistas alertam que atacar problemas sociais e garantir renda para as famílias mais pobres está entre as medidas necessárias para evitar a exclusão e a evasão escolar

A exclusão escolar se dá quando crianças e jovens em idade escolar, que deveriam estar estudando, não têm acesso ao ensino presencial nem ao remoto. Com o fechamento das escolas durante a pandemia da Covid-19, o problema, que, no Brasil, já era um desafio, se agravou. O número de crianças e adolescentes sem acesso ao ensino formal passou de 1 milhão em 2019 para 5 milhões no final do ano passado, segundo o Unicef, Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância. Segundo o líder de políticas educacionais do movimento Todos Pela Educação, Gabriel Corrêa, o aumento do desemprego durante a pandemia está entre as explicações para o fenômeno. “Muitos jovens que precisaram ajudar suas famílias indo para o mercado de trabalho, ajudando na renda familiar, tiveram que largar os estudos. E há um risco imenso desses jovens não voltarem para as escolas, agora com o retorno às aulas presenciais”. Se isso se confirmar, a Educação no país corre o risco de voltar a patamares de 20 anos atrás, conforme apontou o relatório do Unicef.

Para Corrêa, o recuo na área significa prejuízos não só para a vida das crianças e adolescentes, como também para a própria economia do país. “Isso tem um impacto imenso na vida desses estudantes, porque a gente sabe que aqueles que não terminam a educação básica têm menos oportunidades na sua vida, e para o país como um todo. Se a gente entra em um cenário em que menos jovens estão se formando, há no mercado de trabalho um apagão de uma mão de obra mais qualificada e isso prejudica o desenvolvimento econômico do país”, esclarece. O líder de políticas educacionais alerta, ainda, que atacar problemas sociais e garantir renda para as famílias mais pobres está entre as medidas necessárias para evitar a exclusão e a evasão escolar. Outra ação fundamental é trazer os estudantes de volta às salas de aula. “Dentro dos sistemas educacionais, nas escolas, é fundamental fazer o que a gente chama de busca ativa. Ou seja, irem atrás desses estudantes que não retornaram. A responsabilidade direta desse trabalho é, sem dúvida nenhuma, dos municípios e dos Estados. Mas, no Brasil, o Ministério da Educação tem, constitucionalmente, a responsabilidade de fazer a coordenação dessas ações”. Tá Explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!