Em litígio, Messi é protagonista de campanha publicitária do Barcelona; ato teria sido proposital

A intenção, de acordo com a imprensa espanhola, é pressionar o argentino a permanecer para a próxima temporada; entenda

  • 02/09/2020 11h28 - Atualizado em 02/09/2020 14h54
ReproduçãoArte exibida no site oficial do Barcelona mostra Messi como protagonista da campanha que promove os uniformes da equipe para a temporada 2020/21

O atacante argentino Lionel Messi, que informou ao Barcelona o desejo de deixar o clube, amanheceu nesta quarta-feira, 02, em destaque no site oficial do clube, protagonizando campanha de venda das camisas da temporada 202o/2021. O astro aparece em primeiro plano na imagem em que também estão os atacantes franceses Ousmane Dembélé e Antoine Griezmann, o zagueiro espanhol Gérard Piqué, o goleiro alemão Marc-Andre Ter Stegen e o meia holandês Frenkie de Jong. A imagem certamente foi feita antes das férias dos jogadores, já que, após a derrota para o Bayern de Munique por 8 a 2, pelas quartas de final da Liga dos Campeões, não houve reapresentação. Messi não voltou dentro da programação de preparação para a próxima temporada, iniciada no domingo.

Há três dias, o argentino, junto com os companheiros, deveria ter se submetido a testes de diagnóstico do novo coronavírus, mas não apareceu. Ontem e anteontem, o camisa 10 não treinou sob as ordens do holandês Ronald Koeman, sucessor do espanhol Quique Setién no banco de reservas blaugrana. Segundo a imprensa espanhola, a presença de Messi no material publicitário veiculado no site do clube é intencional. A decisão teria sido tomada pela própria diretoria do Barcelona, com a intenção de mostrar o jogador como um símbolo para a próxima temporada e pressioná-lo a permanecer.

Lionel Messi avisou na semana passada que gostaria de deixar o BarcelonaPor meio de um burofax, recurso utilizado na Espanha para o envio de documentos urgentes pelo correio, o camisa 10, que tem vínculo com o Barça até o meio de 2021, comunicou que acionaria uma cláusula contratual que lhe permitiria rescindir o contrato unilateralmente ao fim da atual temporada. De acordo com o jornal espanhol Marca, o prazo para que essa cláusula fosse exercida expirou no último dia 10 de junho, data em que a temporada se encerraria. No entanto, o entorno do jogador acredita que pode reativá-la agora. Isto porque a pandemia do novo coronavírus provocou a paralisação do futebol na Espanha por cerca de três meses, e as disputas só cessaram em agosto.

O Barcelona, por sua vez, já avisou que não pretende liberar o craque antes de 2021 sem o pagamento da multa rescisória de 700 milhões de euros (R$ 4,6 bilhões). Enquanto isso, o nome de Messi tem sido cada vez mais vinculado ao Manchester City, clube que já teria, inclusive, um contrato pronto para oferecer ao jogador. Hoje, o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, deverá se reunir com Jorge Messi, pai do astro, que desembarcou mais cedo na capital da Catalunha. Em entrevista concedida ainda no aeroporto, o agente do camisa 10 admitiu que é difícil a permanência do filho no Barça.

*Com informações da Agência EFE