Bolsonaro demite ministro do Turismo; presidente da Embratur assume cargo

Decisão ocorreu um dia após Álvaro Antonio criticar o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, em um grupo de WhatsApp com outros auxiliares presidenciais

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2020 16h19 - Atualizado em 10/12/2020 07h40
Wallace Martins/Estadão ConteúdoMarcelo Álvaro Antônio deixou o Ministério do Turismo

O presidente Jair Bolsonaro demitiu, nesta quarta-feira, 9, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. A decisão ocorreu um dia após um Álvaro Antonio criticar o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, em um grupo de WhatsApp dos ministros do governo Bolsonaro. A exoneração ainda não foi publicada no Diário Oficial da União. O agora ex-ministro do Turismo foi recebido pelo presidente da República no início da tarde desta quarta, ocasião na qual foi comunicado de sua demissão. Presidente da Embratur, Gilson Machado assume o cargo. Machado também foi recebido por Bolsonaro no Palácio do Planalto, onde permaneceu por cerca de 40 minutos. Na saída, não falou com jornalistas.

Com a exoneração, Marcelo Álvaro Antônio deve reassumir seu mandato de deputado federal na Câmara dos Deputados. Ele é filiado ao PSL, foi eleito por Minas Gerais e é investigado pelo Ministério Público sob suspeita de desviar recursos de campanha por meio de candidaturas laranjas de mulheres nas eleições de 2018. Mesmo com a repercussão negativa do caso, Bolsonaro manteve Álvaro Antônio no cargo. Em seu perfil oficial no Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) desejou sorte a Gilson Machado. “Desejo boa sorte a Gilson Machado, que vinha fazendo bom trabalho como presidente da Embratur e agora se torna novo Ministro do Turismo. Que Deus o ilumine nessa nova jornada”, diz a publicação.