Vacina da gripe e da Covid-19: qual tomar primeiro?

Pela primeira vez, duas grandes campanhas nacionais de vacinação são realizadas ao mesmo tempo no Brasil; saiba qual dos imunizantes é aconselhável priorizar e o intervalo mínimo entre eles

  • Por Lívia Zanolini
  • 23/04/2021 15h15 - Atualizado em 23/04/2021 17h04
JOAO GABRIEL ALVES/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBrasil se aproxima de 28 milhões de vacinados contra a Covid-19, segundo o Consórcio de Veículos de Imprensa

A chegada do outono aumenta a preocupação com a gripe. Este ano, a campanha de vacinação começou em 12 de abril e a previsão é imunizar cerca de 80 milhões de pessoas. E, com isso, reduzir a circulação do vírus e evitar síndromes respiratórias graves que acabam pressionando o sistema de saúde, já sobrecarregado em razão da pandemia. Pela primeira vez, a vacinação da gripe é realizada simultaneamente com outra campanha de peso: a imunização contra a Covid-19. Este ano, os primeiros a receberem a dose contra o vírus da influenza são crianças, gestantes, mulheres que acabaram de dar à luz, povos indígenas e trabalhadores da saúde. As pessoas com mais de 60 anos, que costumavam inaugurar a campanha, serão imunizadas na segunda etapa, a partir de maio. A inversão do cronograma foi justamente para evitar conflitos com a vacinação contra o coronavírus que, na fase atual, imuniza os idosos. Em alguns Estados, trabalhadores da educação e da segurança pública também já estão sendo contemplados. Apesar disso, é possível que, em determinado período, os calendários vacinais possam coincidir.

Neste caso, a orientação é tomar a vacina contra a Covid-19 primeiro.  Depois, é preciso esperar, pelo menos, 14 dias para receber a dose da gripe. O presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, explica por que é aconselhável seguir esse protocolo. “Nesse momento, o que mais nos preocupa é a Covid-19. Então se você faz parte do grupo que é chamado para fazer a vacina Covid e também fazer a da gripe, primeiro Covid e depois gripe. Mas não precisa esperar as duas doses para fazer a da gripe. Pode fazer a da gripe no meio do caminho. Nós não temos nenhum estudo de uso concomitante de vacinas Covid com qualquer outra vacina. Então, por segurança, se optou por deixar esse intervalo de 14 dias. Os eventos adversos, por ser uma vacina nova, têm que ser muito bem controlados e, quando acontecem, também são, em geral, nos primeiros 14 dias. Se eu fizer outra vacina eu posso interferir nessa avaliação”. Em caso de sintomas agudos de gripe ou de Covid-19, é melhor esperar o quadro regredir antes de tomar qualquer uma das vacinas. Já se o diagnóstico for positivo para coronavírus, o ideal é aguardar, pelo menos, quatro semanas. Tá Explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!